Judiciário de Botucatu debate greve que já dura 115 dias

Embora não estejam aderindo a greve do Poder Judiciário de São Paulo que já dura 115 dias, os servidores do Poder Judiciário de Botucatu estão se encontrando, regularmente, para discutir os rumos do movimento e conhecer as diretrizes que são tomadas pelo comando da greve de São Paulo.

Essas reuniões acontecem na Praça Rui Barbosa ao lado do antigo Fórum, que está interditado há vários anos. Quando a greve foi deflagrada, alguns setores do Fórum fizeram uma paralisação parcial, mas o movimento não ganhou força necessária e todos os funcionários retornaram ao trabalho.

Em algumas cidades do interior paulista como Sorocaba, Piracicaba, Campinas, Ourinhos, Ribeirão Preto e Sertãozinho, a paralisação é bastante acentuada e somente os serviços essenciais estão sendo realizados. A greve vem se constituindo numa verdadeira queda de braço entre os servidores do Judiciário com o governo do Estado. Os servidores querem um reajuste de 20,16% para reposição de perdas salariais, enquanto o governo acena com a possibilidade de dar apenas 4,77%.

“Estamos mantendo essas reuniões para discutir os rumos que a greve está tomando. Em Botucatu não temos nenhum servidor parado. Na próxima terça-feira marcamos uma nova reunião para debater o assunto e cada um pode expor sua opinião livremente. A greve em algumas cidades teve grande adesão, o que não acontece em Botucatu, onde os servidores trabalham normalmente”, comentou a servidora da 1ª Vara Cível, Tânia Hernandes.

Fotos: David Devidé