Irizar de Botucatu demite 28 funcionários

Rapahel Nunes Melo/Ônibus Brasil

A fabricante de ônibus rodoviários Irizar de Botucatu (100 quilômetros de Bauru), demitiu recentemente 28 funcionários. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Botucatu e região, os cortes poderão chegar a 40 nos próximos dias e são reflexo da crescente queda de produção na indústria.

O presidente do sindicato, Miguel Ferreira da Silva, explica que, até ontem, 28 rescisões haviam sido agendadas para serem homologadas pela entidade. “Mas, segundo eles, vai ser uma média de 40 funcionários a serem dispensados”, declara.

Ele conta que, antes de recorrer aos desligamentos, a Irizar adotou algumas medidas, incluindo redução de jornada e transferência de funcionários, durante 90 dias, para unidades na Espanha e México. “São quase 200 pessoas fora de Botucatu”, diz.

“Eles já vem atropelando essa crise. Como nesses lugares tem serviço, eles mandam o pessoal daqui para lá. Mas essas pessoas devem voltar agora no final de junho e aí a gente não sabe como vai ser”. Segundo o presidente, a produção da fábrica vem caindo.

Ele conta que a empresa chegou a fabricar três veículos por dia, número que chegou recentemente a um e, atualmente, atingiu o patamar de meio veículo/dia. “A empresa até que segurou muito (as demissões)”, avalia. A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da Irizar, mas não houve retorno até o fechamento desta edição.

‘Guerra fiscal’
Em março, representantes de fábricas de ônibus de Botucatu se reuniram com o deputado estadual Fernando Cury (PPS) na Secretaria Estadual da Fazenda para cobrar a adoção de medidas que garantam a livre concorrência com empresas do ramo sediadas em outros estados, como Rio Grande do Sul, Paraná e Rio de Janeiro.

Entre os pedidos estão a concessão de crédito presumido do ICMS de 3%, ou seja, desconto de 3% do imposto sobre o valor do produto final, a exemplo do Rio de Janeiro, além de descontos de 100% do ICMS quando houver a aquisição de matéria-prima de empresas do estado e quando o produto importado entrar no Brasil por São Paulo.

(JCNet)