Internos da Fundação Casa se rebelam mais uma vez; um funcionário se feriu e foi levado ao PS

Foto: Arquivo Acontece
Foto: Arquivo Acontece

Um funcionário da Fundação Casa, que não quis ter o nome divulgado, informou ao Acontece Botucatu que na manhã desta terça-feira, 28, os adolescentes que estão internados na unidade de Botucatu se rebelaram novamente e agrediram um dos coordenadores da unidade, que também não teve o nome revelado. Ele teria sofrido ferimentos no rosto e precisou ser levado ao pronto socorro da Unimed, devido à gravidade das lesões.

Ainda segundo a fonte do Acontece, o tumulto começou por volta das 10h30, quando um interno, de 19 anos, que seria da cidade de Dois Córregos, partiu pra cima do coordenador da unidade, com uma escova de dente afiada artesanalmente. Ele desferiu socos contra o funcionário, que perdeu os sentidos, caiu ao chão e continuou apanhando. Outros funcionários conseguiram retirar a vítima do espancamento e isolaram os internos.

“Isso era uma tragédia anunciada, todos foram avisados. Os internos disseram que iram aprontar novamente quando o GIR, Grupo de Intervenção  Rápida, da Fundação, saísse. Eles foram embora ontem (segunda-feira), só ficaram 4 funcionários para tomar conta de 62 internos”, disse a fonte do Acontece.

O GIR estava na cidade desde o último dia 04 de junho, quando houve uma rebelião, com saldo de 3 funcionários feridos. A direção foi procurada pela reportagem, mas ninguém quis falar sobre o assunto. Um e-mail foi enviado à assessoria de imprensa da Fundação, questionando o ocorrido. O Acontece Botucatu acompanha o caso.

O funcionário atendido no pronto socorro passa bem, mas está bastante abalado psicologicamente.

Relembre o caso

relebeliao-fund-casa-6A Polícia Militar e Guarda Civil Municipal registraram na noite deste sábado, 04 de junho, uma rebelião na Fundação Casa de Botucatu. Ao total 62 internos ficaram isolados no piso térreo, onde funcionam as salas de atividades, como cozinha, biblioteca, consultórios, etc. Entre os internos há menores e alguns maiores de idade.

Um pequeno tumulto teria começado por voltas das 17 horas, quando eles estavam na sala de TV e teriam reagido negativamente a uma ordem dos funcionários. Às 19 horas eles se rebelaram e entraram em confronto com os seguranças, que conseguiram trancar as grades, deixando os internos isolados. Não houve reféns. Todos os funcionários foram retirados do local no início do tumulto.

Funcionários feridos

Segundo relatos policiais e pessoas ligadas à unidade, apesar de não haver reféns,  três funcionários ficaram feridos após confrontos com os internos. Um funcionário teve o nariz quebrado. Um outro agente de segurança sofreu ferimentos nos olhos e um terceiro feriu o pé ao fechar a grade que separa o pátio das demais áreas.

Segundo informações que foram apuradas pelo Acontece Botucatu, o descontentamento de grande parte dos internos teve início após a chegada de três menores que vieram de outras cidades. O clima teria ficado hostil nos últimos dias entre os internos. O tumulto só foi controlado com a chegada do GIR, Grupo de Intervenção Rápida, que veio de Avaré. Os agentes passaram a dialogar com os rebelados, através de uma porta de proteção.

Depois de muita conversa, o relógio apontava 21 horas quando as negociações chegaram ao fim e teve início a revista de todos os internos. Em grupo de 5 internos, eles deixaram o local isolado, passaram por um exame superficial com o enfermeiro da unidade e foram encaminhados aos dormitórios, que são dotados de portas de ferro com tranca externa. A reportagem do Acontece Botucatu acompanhou durante três horas as ações no local.
Internos quebraram tudo

relebeliao-fund-casa-5Os assistidos quebraram vários departamentos como sala de computadores, cozinha e enfermaria. Durante a revista foi possível ver alguns internos ameaçando funcionários. Segundos relatos extraoficiais, constantemente há conflitos entre internos e funcionários.? Ao total 10 viaturas da Polícia Militar com aproximadamente 40 pessoas foram até o local, entre Rocam, Força Tática e Comando de Força. A Guarda Civil Municipal também compareceu, assim como a polícia Civil, representada pela delegada plantonista.

“Fomos chamados após desentendimentos entre internos e funcionários. Viemos aqui para evitar uma possível fuga, pois o local é rodeado de mata. Fizemos todo o isolamento da área, com apoio da guarda municipal, e posteriormente acionamos o GIR, Grupo de Intervenções Rápidas, da Secretária de Administração Penitenciaria, que é responsável por entrar nesse tipo de unidade para reestabelecer a ordem”, disse o Tenente Malagute da Polícia Militar.
A última rebelião na unidade da Fundação Casa de Botucatu foi registrada em abril de 2013.