Instituto de Biociências de Botucatu completa 35 anos

O Instituto de Biociências (IB) da Unesp, câmpus de Botucatu, promoveu sessão solene da Congregação para comemorar seus 36 anos. A mesa da cerimônia foi composta pela diretora do IB, Maria Dalva Cesario; pelo vice-diretor, Wilson de Mello Júnior; pela secretária municipal de Educação, Alessandra Lucchesi de Oliveira, que representou o prefeito de Botucatu João Cury Neto; pelo presidente da Câmara Municipal de Botucatu, Ednei Lázaro da Costa Carreira; e também pelos vice-diretores da Faculdade de Medicina de Botucatu e da Faculdade de Ciências Agronômicas, respectivamente, José Carlos Peraçoli e Carlos Frederico Wilken.

“Hoje comemoramos 36 anos de trajetória de um Instituto desse câmpus dedicado ? formação de profissionais comprometidos coma sociedade que nos sustenta, profissionais de duas áreas do saber: biológicas e exatas. Ao longo dessas três décadas e meia, o nosso Instituto foi palco para grandes discussões que afligiam nossa comunidade. Com essa característica de vivacidade, o IB esteve sempre incidindo na conformação do nosso futuro. O nosso corpo docente e discente sempre trouxe, com isso, a respeitabilidade específica obtida graças ? disposição para o enfrentamento aos principais desafios postos pelo mundo”, disse a diretora do IB em seu discurso.

“É notável que o Instituto de Biociências passou e passa por profundas transformações. Estamos sempre crescendo, temos inúmeras conquistas já realizadas, mas também o espírito inquieto busca o estabelecimento de novos desafios a serem superados, sempre em busca da excelência no ensino, na pesquisa e na extensão universitária”, complementou.

De acordo com a professora Maria Dalva, a instituição possui atualmente cerca de 170 docentes, 170 servidores técnico-administrativos e atende, anualmente, a mais de 2000 alunos. Em termos de investimentos, ela destacou que são aplicados no IB cerca de R$ 5 milhões ao ano pela Unesp e outros R$ 10 milhões por agências de fomento em projetos e bolsas de estudo.

A diretora salientou ainda o papel dos profissionais que atuam na instituição e a participação das outras unidades do câmpus para o crescimento do IB. “Nossos docentes têm se destacado pelas atividades que desenvolvem não apenas no país, mas em centros de excelência no exterior. A qualidade técnico-administrativa de nossos servidores faz com que a direção desta unidade tenha condições de executar, de forma efetiva, o seu plano de gestão. Há que se ressaltar a parceria sempre constante das três unidades do nosso câmpus”, mencionou.

Durante o evento, foram destacados os 10 anos do curso de Física Médica e os cinco anos do curso de Pós-Graduação em Biometria. “Temos orgulho da formação propiciada por esse curso, pois sabemos que a inserção desses egressos em empresas, laboratórios, hospitais e universidades tem sido quase que imediata e absoluta, ou seja, quase 100% deles estão com uma colocação no mercado de trabalho que dia a dia se amplia. Alunos desse curso têm sido premiados em congressos da área, se destacado em concursos públicos ou privados e, quando ingressam em cursos de pós-graduação, também têm se destacado”, disse a diretora do IB referindo-se ao curso de Física Médica.

O professor Roberto Morato Fernandez, coordenador do curso de Física Médica, além de parabenizar a instituição pelos 36 anos de atividades, falou das conquistas e desafios dessa graduação. “Nós ainda estamos trabalhando pelo curso de Física Médica e temos muito a fazer para manter a qualidade do ensino do nosso curso. Estamos bastante satisfeitos com a grande inserção dos nossos alunos formados no mercado de trabalho e nos diversos cursos de pós-graduação”, disse.

Em relação ao programa de pós-graduação em Biometria, a professora Maria Dalva comentou a boa avaliação do mesmo e ressaltou que, recentemente, foi aprovada nos órgãos colegiados a solicitação ? Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) para implantação do nível de doutorado.

O professor Paulo de Arruda Mancera, primeiro coordenador desse programa, disse que vários egressos desse curso hoje são doutorandos de programas do Brasil e do exterior de reconhecida qualidade. O intercâmbio com pesquisadores do México, França e Peru também foi apontado pelo docente. Mancera ainda recordou a participação da pós-graduação em Biometria na organização de eventos da Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada e Computacional, além do aumento da produção científica nos últimos anos.

Docentes e servidores técnico-administrativos que atuam na instituição há bastante tempo e os que se aposentaram recentemente foram homenageados pela contribuição que trouxeram ? instituição. Também foram lembradas as pessoas que integraram a instituição e faleceram no último ano.

Durante o evento, houve premiação dos três primeiros colocados de cada modalidade do concurso fotográfico “Instituto de Biociências: Olhares revelados IV”. Na categoria fauna, foram contempladas Silvia Mitiko Nishida, Lucia Maria Paleari e Sandra de Moraes Bosco. Em paisagem arquitetônica, os trabalhos considerados melhores foram das autoras Amélia Kamegasawa, Maria Júlia Bertini e Maria Consolata Senna Panhozzi. Na modalidade flora, Silvia Mitiko Nishida, Eliza Cardoso e Maria Consolata Senna Panhozzi obtiveram os primeiros lugares.