Impasse de sindicatos do setor comercial está na Justiça

Representantes do Sincomerciários e Sincomércio ainda não assinaram a Convenção Coletiva do Trabalho e nem chegaram a um acordo com relação a abertura do comércio no horário noturno

 

A falta de acordo nas questões de reajuste salarial e a abertura das lojas à noite antecedendo o Natal, levou o Sindicato dos Empregados no  Comércio de Botucatu – Sincomerciários,  que tem na presidência Carlos Negrisoli e representa os trabalhadores,  a entrar como uma ação na Justiça do Trabalho contra o Sindicato do Comércio  Varejista – Sincomércio, representante da classe patronal e tem na presidência Fátima Baldini.  A ação se estende a algumas lojas comerciais da cidade e ao Shopping Botucatu que segundo o  Sincomerciários  teriam feito propaganda antecipada da abertura no horário noturno sem que o acordo fosse consolidado.

O impasse começa com o reajuste salarial que deveria ter sido negociado em setembro, mas como não houve acordo,  a Convenção Coletiva do Trabalho ainda não foi assinada.   Esse impasse vem se repetindo nos últimos anos e as negociação entre os dois sindicatos  duram vários meses, até que o acordo seja construído.  O sindicato que representa os comerciantes quer 9,88% de aumento para corrigir o índice inflacionário e as perdas salariais do período. Como a média salarial do comércio fica em torno de R$ 1.000,00 o aumento seria de R$ 100,00. Já o Sincomércio, alegando que crise econômica do País atingiu os comerciantes, quer pagar o reajuste em duas parcelas uma em setembro e outra em fevereiro de 2016.

O Sincomércio avalia que, como a convenção de 2015 ainda não foi assinada, vale a de 2014, que regulamenta a abertura do comércio no horário noturno e as folgas obrigatórias aos funcionários.  Já o Sincomerciários contesta essa versão alegando que sem o acordo ser firmado para 2015, os funcionários do comércio não são obrigados a trabalhar fora do expediente especificado em lei.

“Os funcionários não podem ser prejudicados trabalhando fora do expediente normal, sem ter o acordo fechado e assinado. Por causa disso, entramos na Justiça contra o sindicato patronal e contra algumas lojas e o Shopping Botucatu que fizeram propaganda antecipada  da abertura noturna. Estaremos visitando o comércio no período noturno a partir desta segunda-feira com nossa assessoria jurídica e as lojas que estiveram funcionando serão anexadas no processo”, prometeu Carlos Negrisoli.