IBB inaugura laboratório para pesquisas em “energia limpa”

O Instituto de Biociências de Botucatu/Unesp (IBB) inaugurou um novo espaço para o desenvolvimento de pesquisas e análises da conversão de compostos químicos em energia. Este será o objetivo do Laboratório de Pesquisa “Professor Ariovaldo de Oliveira Florentino”, que integra o Departamento de Química e Bioquímica, viabilizado através de verbas da Finep (Financiadora de Estudos e Projetos) e da própria Unesp.

O local será destinado ? preparação de células a combustíveis – dispositivos de conversão da energia química em elétrica. Este processo não causa danos ao ambiente e se utiliza de fontes renováveis como o hidrogênio. Enquanto que em pilhas e baterias comuns a reação dos componentes ocorre dentro dos dispositivos, em células a combustíveis a energia é produzida de forma gradual, conforme os reagentes são introduzidos ao sistema.

Diretor do IBB, prof. Renato Diniz salienta que a construção do espaço é importante avanço para a produção de conhecimento e a formação dos alunos inseridos aos programas de Iniciação Científica e de Pós Graduação da Unesp nas áreas de química e bioquímica. “Este laboratório é a somatória de uma série de esforços que culminam em importantes pesquisas e na formação de alunos”, realçou.

Margarida Juri Saeki, professora responsável pelo laboratório, relembrou das etapas para a construção do laboratório e enfatizou a participação de Ariovaldo Florentino neste processo. “O projeto era uma proposta antiga que finalmente se concretiza”, disse. A docente tem realizado estudos no uso da cerâmica como componentes para o processo de energia a combustível.

Já a chefe do Departamento de Química e Bioquímica, profª Giuseppina Pace Pereira Lima frisa que o espaço mostra o crescimento que o Instituto de Biociências vivencia e na adequação de sua estrutura para o ensino e pesquisa. “O espírito de inovação proporciona a melhoria na qualidade dos estudos realizados pelo IBB. Esta estrutura será um importante braço neste contexto”, disse.

{n}Sobre o homenageado{/n}

Ariovaldo de Oliveira Florentino, que cede o nome ao laboratório, foi professor da Faculdade de Ciências da Unesp (Bauru) de 1994 a 1996, se vinculando ao Departamento de Química do IB em 1998, onde permaneceu até seu falecimento, dez anos depois. Seus estudos analisavam a catálise (mudança de velocidade de uma reação química) e na área de bioquímica.

Fonte: Flávio Fogueral
Assessoria de Comunicação e Imprensa IB Unesp