Guardas mirins começam a trabalhar na Prefeitura

Foi realizada na sala de Teleconferência da Secretaria Municipal de Educação a recepção dos Guardas Mirins, que antes trabalhavam na Zona Azul e agora foram absorvidos pela Prefeitura de Botucatu como Menores Aprendizes, mediante convênio assinado entre as partes.

O evento contou com a presença do prefeito João Cury Neto; do diretor de engenharia de tráfego, Eduardo Quevedo; do fiscal de Tráfego e Transporte, Rodrigo Fumis; e do chefe do Departamento de Recursos Humanos, José Antônio Bonome. Logo após, ocorreu a seleção dos guardinhas, que serão divididos entre as várias secretarias que fazem parte da Prefeitura.

Os jovens começam a trabalhar nesta terça (6) e, segundo Quevedo, executarão, basicamente, atividades de atendimento ao público e rotinas administrativas. O salário correspondente ? jornada de trabalho de oito horas diárias será de R$ 622,00.

{n}Melhor ambiente de trabalho{/n}

De acordo com o promotor de Justiça, Eduardo Daher Zacharias, um parecer do Ministério Público do Trabalho classificava como irregular o emprego de menores, com idades entre 16 e 18 anos, na comercialização de cartões de Zona Azul.

Logo, após estudos realizados pela Secretaria Municipal de Educação, a pedido do prefeito João Cury Neto, foi decidido que os 64 guardas mirins seriam absorvidos pela Prefeitura de Botucatu, onde terão a oportunidade de trabalhar nas mais diversas áreas.

Segundo João Cury, a proposta prevê que, sob supervisão de profissionais, os menores tenham a oportunidade de obter a preparação adequada para o ingresso no mercado de trabalho e, com isso, a Guarda Mirim cumpra seu caráter pedagógico.

“A assinatura desse convênio só vem a somar para vida desses adolescentes que terão um ambiente melhor de trabalho longe do sol e de chuva, onde poderão adquirir conhecimentos em diversas áreas. Quando tomamos a decisão de instalar os parquímetros e trazer os guardas para Prefeitura, tínhamos certeza que iríamos fazer algo melhor para a vida deles. Em momento algum iríamos deixá-los desamparados”, explica.

{n}Mudança bem aceita {/n}

Para o guarda mirim Airton Felipe Ramos da Silva, de 17 anos, a mudança para Prefeitura Municipal é bem-vinda. “As principais dificuldades de trabalhar como guardinha era ficar debaixo de sol quente e chuva, além de algumas pessoas não nos respeitarem. Esta contratação muda totalmente minha vida me dá oportunidade de aprimorar conhecimentos, conhecer pessoas e ter um futuro melhor”, comenta.

Dona Dalva Nazaré, tia de Airton, também está animada com a novidade. “Vai ser bom pra ele, na rua estava muito exposto e agora na Prefeitura ele terá mais oportunidades e as pessoas irão respeitá-lo. Airton quer crescer, é um garoto estudioso. Tenho certeza que vai aproveitar esta oportunidade”, completa.