Guarda Municipal resgata maritaca na Cohab I

Os guardas civis municipais Da Silva e Lucchesi resgataram uma ave conhecida popularmente como maritaca na Cohab I. Segundo a solicitante a ave era de um parente que deixou a ave em sua residência e não voltou para buscar. 

Diante dos fatos a ave foi encaminhada ao Centro de Estudos e Pesquisas de Animais Silvestres (Cempas) para ser readaptado e devolvido à natureza. As maritacas (maitacas) caracterizam-se pela cauda curta e azul, pela zona sem penas em volta dos olhos.. São semelhantes aos papagaios do gênero Amazona, mas menores. Alimentam-se de frutos e sementes.

 

Poda irregular

O inspetor Carlos e agente Camargo do Grupo de Proteção Ambiental (GPA) realizaram o atendimento de uma ocorrência de poda drástica de duas árvores na região central da cidade. O responsável  informou que não tinha autorização para realizar a poda. Confeccionado o Boletim de Ocorrência (BO) da GCM, que será encaminhado à Secretaria Municipal do Meio Ambiente para as providências cabíveis.

 

Alvará

Já o inspetor  Santos e o agente Lima realizaram uma verificação de alvará num bar na região central da cidade.  O fato aconteceu após solicitação realizada através do telefone 199, dando conta que no referido bar estava em pleno funcionamento causando perturbação do sossego público.  Equipes da GCM e da Polícia Militar (PM) estiveram no local e as atividades foram encerradas, assim como dado orientação ao proprietário.

 

Auxílio comunitário

Da Silva e Lucchesi auxiliaram um cidadão de 61 anos, que estava caído na Região do Lavapés.  O fato aconteceu após solicitação realizada através do telefone 199, dando conta que no local havia uma pessoa caída na calçada e totalmente desorientada.  Os guardas conduziram o cidadão ao Projeto do Central de Atendimento ao Migrante Itinerante e Mendicância (Camim) onde ficou aos cuidados da equipe da assistência social.

Ainda no Camim durante averiguação de rotina os agentes depararam-se com um cidadão de 31anos sem documentos pessoais e informando seus dados de maneira desconexa. Acabou conduzido à Delegacia de Investigações Gerais (DIG) e realizada a identificação correta do cidadão, antes de ele ser liberado.