Grupo Ambiental faz o resgate de jibóia e teiú

Os guardas  municipais Camargo e De Santi do Grupo de Proteção Ambiental (GPA) estiveram no bairro rural de Santo Antônio de Sorocaba,  onde uma serpente conhecida como jibóia estava no quintal de uma residência.  Os moradores informaram aos agentes que o animal estava ali há muito tempo,  Feito o resgate e a cobra foi solta em local apropriado,  já que não tinha nenhum tipo de ferimento.

Também os agentes  inspetor Carlos e Carmelin resgataram um lagarto da espécie teiú.  O atendimento foi no Jardim Cristina,  onde o animal estava no quintal de uma residência. Após o resgate ele foi solto em local apropriado, já que não tinha nenhum tipo de ferimento.

 

Jiboia

É a segunda maior cobra (a maior é a sucuri) e pode ser encontrada em diversos locais, como na Mata Atlântica, restingas, mangues, no cerrado, na caatinga e na Floresta Amazônica. Animal muito dócil, apesar de ter fama de animal perigoso, não é peçonhenta e não consegue comer animais de grande porte, sendo inofensiva. É muito perseguido por caçadores e traficantes de animais, pois tem um valor comercial alto, como animal de estimação. Uma jiboia nascida em cativeiro credenciado pelo Ibama pode custar de 1050 a 6000 reais, às vezes mais, de acordo com sua coloração.

 

Teiú

São lagartos  de hábitos diurnos, predadores oportunistas e generalistas, podendo consumir vegetais, artrópodes, outros vertebrados e carniça. Todas as espécies do gênero possuem parte da distribuição no território brasileiro. É o lagarto mais comum em cativeiro, no Brasil e muitos são caçados ilegalmente para servir  de  animais de estimação, atingindo até 2 metros de comprimento.