GPA atende infração ambiental no Jardim Peabiru

Os guardas civis municipais inspetor Carlos e agente Camargo atenderam uma ocorrência de infração ambiental, na região do Jardim Peabiru. Segundo denúncia anônima realizada ao telefone 199, um indivíduo mantinha em sua residência vários pássaros silvestres em cativeiro, de maneira irregular. 

Os guardas realizaram averiguação e contaram que o acusado tinha várias aves de espécies popularmente conhecidas como coleirinhas e canários da terra, além de aves exóticas como canários do reino e calopsitas. Durante verificação nas aves silvestres constatou que 04 possuía anilhas registradas no nome do averiguado, 04 em nome de outras pessoas e 06 sem anilhas. O fato foi encaminhado a Polícia Militar Ambiental que irá tomar as devidas providências.

As anilhas são anéis que permitem a identificação da ave contendo a inscrição do ano, número do criador, número da anilha e do país. É necessário ser sócio de um clube ou associação de criadores para poder ter acesso a estes dispositivos. No comércio de aves, as anilhas são obrigatórias e a forma legal de comprovar que uma ave foi criada em cativeiro e não capturada na natureza, o que se caracteriza em crime.

Gambá

Em outra ação do GPA com os agentes Camargo e Carmelin realizaram o resgate de um gambá que estava aparentemente ferido, na Rua Caetano Vidotto, no Distrito de Rubião Júnior.  Populares ao perceber o animal machucado acionaram o telefone 199 e o gambá foi levado até o Centro de Estudos e Pesquisas de Animais Silvestres (Cempas), ficando aos cuidados da equipe veterinária.