GCM e Camim prestam atendimento a 11 indíos

Indígenas que vieram do  Paraná e estavam comercializando dezenas de balaios feitos artesanalmente foram assistidos pelo Camim e Conselho Tutelar

 

Nesta quinta-feira (28) os guardas civis municipais Dias e Petenucci, acabaram realizando um atendimento inusitado no Terminal Rodoviário, onde segundo ligação realizada junto ao telefone 199 no local havia muitos vendedores ambulantes. Entretanto,  com a chegada dos guardas foi constatado que. na verdade. era uma tribo de índios, com cerca de 130 balaios feitos artesanalmente.

Os 11 indígenas (cinco mulheres, dois homens e quatro crianças) alegaram que vieram de Londrina, Estado do Paranã, e não tinham dinheiro para retornar e, por isso, estavam tentando  vender os balaios para comprar passagens. A equipe do Centro de Atendimento ao Migrante Itinerante (Camim) deu assistência ao grupo.

 

Auxílio à idosa

Dias e Petenucci também estiveram no Residencial Jatobá, onde segundo informações de uma moradora do local, ela percebeu que uma senhora de 78 anos estava desorientada no bairro, já que procurava a casa da filha. Os guardas constataram que na verdade a idosa pegou o ônibus coletivo errado, já que o residencial que ela queria chegar seria o Santa Maria I, diante dos fatos a senhora foi levada até sua residência ficando aos cuidados de familiares.

 

Auxilio comunitário

Já os guardas civis municipais Pedro e Bozzoni realizaram um atendimento comunitário, o caso foi no Elevado Bento Natel, onde um cidadão de 35 anos estava totalmente desorientado em notório estado de embriaguez, diante dos fatos ele foi levado ao Projeto Camim, ficando aos cuidados da equipe de assistentes sociais.