Gape faz resgate de “morador” em casa abandonada

Os guardas municipais Nogueira, Vaz e Lourenço do Grupo de Ações Preventivas Especiais (Gape) atenderam um caso de averiguação numa casa abandonada na Vila dos Lavradores. No local um cidadão de 33 anos estaria tentando morar naquele imóvel, porém os guardas informaram ao cidadão que a residência está interditada. Diante dos fatos o indivíduo foi encaminhado à assistente social.

A ação faz parte de um projeto da GCM e Centro de Atendimento ao Migrante Itinerante  e Mendicância (Camim), coordenado pela equipe da assistente social Neide Zonta, com apoio das secretarias de Assistência Social  e Segurança Pública e Direitos Humanos,   voltado para as pessoas em situação de vulnerabilidade. 

Visitando vários locais da Cidade, principalmente praças públicas e casas abandonadas, essas pessoas são resgatadas e levadas ao Camim onde são assistidas.  “O fator predominante no sucesso desta ação social é a contribuição da população que solicita diuturnamente no número 199 acionando o auxílio às pessoas em situação de vulnerabilidade”, comentou o comandante GCM, Sérgio Bavia.

Neide Zonta destaca que  não são atendidos apenas  migrantes ou desvalidos como também pessoas que se encontram vagando pelas ruas embriagadas e são encaminhadas ao Camim ou para suas próprias casas. “O importante é que esta camada da população não pereça em casas abandonadas, praças, e em outros lugares desta Cidade”, destaca.