Fundação Casa: Prefeito recebe funcionários demitidos; “Casa” emite nota sobre demissões

Fotos: Acontece Botucatu

crami-2O prefeito de Botucatu João Cury recebeu na tarde desta sexta-feira, 09, os funcionários da ONG que prestava serviço à Fundação Casa em Botucatu. São aproximadamente 30 pessoas, entre enfermeiros, auxiliares administrativos, fisioterapeutas, psicólogos, e outras funções, que foram demitidos na tarde desta sexta, por conta da troca da ONG que é contratada pela Fundação para atendimento aos jovens internos. O problema, segundo os trabalhadores, é que durante o aviso prévio, que terminou hoje, eles foram tranquilizados com a informação que a nova contratada, da cidade de Bauru, iria recontratá-los.

“Somos todos ex-funcionários do CRAMI, cumprimos o aviso prévio cientes dessa mudança, mas com a promessa de que continuaríamos com a nova contratada. O CRAMI agiu certinho, só temos que agradecer, mas fomos apunhalados pela ACOP de Bauru que nos prometeu a manutenção dos empregos. Eles só falaram hoje da dispensa após um dia inteiro de trabalho, pois pressionamos a gerente”, disse um dos ex-funcionários que pediu anonimato ao Acontece Botucatu.

Durante a reunião com o prefeito, os ex-funcionários relataram o ocorrido e pediram a intervenção do chefe do executivo. “Estou muito chateado de não ter sido comunicado com antecedência pela Fundação Casa sobre esse problema. Neste momento de crise nós temos que garantir o sustento e a dignidade dessas pessoas. Estou em contato com a presidência da Fundação casa para entender o que aconteceu e tentar reverter essa situação, se ainda for possível”, relatou ao Acontece o prefeito João Cury.

Redução de salários

fundacao-casaUma informação obtida pelo Acontece Botucatu é que a dispensa seria motivada por uma redução de salário a partir dessa nova fase de contratações, por isso, os mesmos funcionários não poderiam ser recontratados com salários menores. A informação foi confirmada pela assessoria da Fundação Casa.

A assessoria ainda esclareceu que a questão trabalhista não diz respeito à instituição, mas sim, exclusivamente a organização que foi contratada, nesse caso, a OSC ACOP São Francisco de Assis (Ação Comunitária e Promoção Social), que foi a única participante da licitação realizada para a contratação.

Confira a nota na íntegra

A assessoria de imprensa da Fundação CASA esclarece que a mudança da ONG CRAMI pela OSC ACOP São Francisco de Assis (Ação Comunitária e Promoção Social) não afetará o atendimento socioeducativo aos adolescentes do CASA Botucatu. A decisão de substituição ocorreu após o chamamento público para gestão compartilhada em função da lei 13019/14, cuja antiga ONG CRAMI não desejou em participar, sendo assim, a atual OSC ACOP decidiu, dentro da legalidade, formar um novo quadro de prestadores de serviço.

Cumprindo integralmente o que está previsto no ECA e no Sinase, das 6h às 22 h, os adolescentes têm uma agenda multiprofissional que inclui atividades de escolarização formal, esporte, cultura, educação profissional, além do atendimento de psicólogos e assistentes sociais. Logo quando chegam, os jovens passam por um diagnóstico polidimensional e são trabalhados de acordo com um plano individual de atendimento (PIA). O PIA permite que as reais demandas que o jovem e sua família têm nas áreas social, de saúde e pedagógica sejam focadas especificamente. Portanto, o modelo pedagógico continuará sendo ofertado aos jovens de Botucatu, sendo educação formal, educação profissionalizante, oficinas culturais e atividades esportivas.