Frei Domingos Savio: botucatuense servindo Deus

Frei Domingos Sávio Francisco nasceu em 09/11/55 em Botucatu e é o 12º filho de uma família de 15 irmãos. Seu pai foi Luiz Francisco (falecido) e sua mãe é Maria Aguiar Francisco. Quatro dos irmãos estão, como ele mesmo diz, na morada Celeste. Na infância era um menino especial, sempre calmo e que procurava ajudar aos outros. Nunca escondeu de ninguém sua vocação em ser padre. Foi assim sua adolescência e mocidade.

Galgou atrás de seu sonho e conseguiu seu objetivo. Hoje o Frei Domingos Sávio vive em Guarapuava, no Paraná e dia 19 de novembro de 2014 completa 25 anos de vida sacerdotal. Sempre que pode visita seus parentes e amigos em Botucatu. Em entrevista ao Acontece Frei Domingos conta, ano a ano, sua trajetória sacerdotal.

{n}Congregação dos Frades Missionários{/n}

“Em 1982, aos 27 anos de idade, senti que era o momento de dar uma resposta a Deus ao seu chamado. Conheci a Congregação dos Frades Menores Missionários de Ponta Grossa, Paraná. O que me impressionou foi a simplicidade dos freis e eu pensei comigo: “é isso que eu quero, é isso que eu procuro”. No ano seguinte em janeiro de 1983, arrumei as malas e embarquei as 17 horas no ônibus que saia da Unesp até Curitiba passando por Ponta Grossa. Foi muito doloroso deixar a família, os amigos e a cidade onde comecei a minha história. As lágrimas foram inevitáveis, mas em compensação a alegria interior foi compensada por estar fazendo a vontade de Deus. No dia seguinte, ? s 5 horas, desci em terra pontagrossense onde fui bem acolhido pelos freis”.

{n}Vocação no convento{/n}

“No começo de fevereiro iniciei o postulantado que é um ano de experiência, de discernimento da vocação no Convento São Francisco. Confesso que nas primeiras semanas foi muito difícil. A saudade me flagelava, as lembranças me torturavam e eu chorava sozinho na cela. Sabia que isso era passageiro e que poderia com a graça de Deus, que nunca me desamparou, superar tudo. Ao mesmo tempo do postulantado iniciei também o primeiro ano de filosofia. Em 1984 no dia 08 de fevereiro fui revestido do hábito religioso e em seguida comecei o noviciado, que é o primeiro passo da vida religiosa e uma escola de santidade”.

{n}Primeira profissão religiosa{/n}

“Em fevereiro de 1985 após concluir o ano de noviciado fiz a minha primeira profissão religiosa abraçando os conselhos evangélicos, isto é, os votos de castidade, obediência e pobreza. Após a profissão religiosa retornei ao Convento São Francisco para dar continuidade aos estudos. No final do ano de 1985 conclui o segundo ano de filosofia. Em 1986 iniciei os estudos de teologia e em fevereiro de 1988 fiz a minha profissão perpétua, isto é, uma entrega definitiva e total a Deus. Já em novembro fui ordenado diácono pelo saudoso bispo diocesano de Ponta Grossa Dom Geraldo M. Pelanda. No dia 19 de novembro de 1989 na Paróquia São Pedro em Ponta Grossa fui ordenado sacerdote pelas mãos do mesmo bispo que me ordenou diácono. Esse foi um dia inesquecível para mim e todos os que estavam presente na ordenação, principalmente, minha família minha querida mãe, meus irmãos, parentes e amigos”.

{n}Primeira missa no Santuário de Lourdes{/n}

“No dia 26 de novembro de 1989 rezei a minha primeira missa em Botucatu no Santuário Nossa Senhora de Lourdes. Que emoção. Não agüentei e não consegui conter as lágrimas. Em 1990 fui transferido para o Convento Santo Antonio como confessor dos noviços. Em 1991 fui transferido para a cidade de Guarapuava, Paraná onde iniciamos a construção do Convento São José (casa de formação do postulantado). Em junho de 1996 fui transferido para o Convento São Francisco em Ponta Grossa onde fiquei até o final do ano de 1999. No inicio de 2000 retornei a Guarapuava onde fiquei até novembro de 2008 e fui transferido para o Sul do Pará no Distrito Casa de Tábua que pertence ao Município de Santa Maria das Barreiras. Em fevereiro de 2010 completei 25 anos de vida Consagrada e fui transferido para a cidade de Santana do Araguaia também no Pará. Em agosto de 2010 voltei para Guarapuava onde estou até o momento presente”.

{n}Chegando aos 25 anos de vida sacerdotal{/n}

“Se Deus quiser no dia 19 de novembro de 2014 completo 25 anos de vida sacerdotal. Agradeço a Deus por ter me escolhido para essa belíssima missão. Agradeço a Deus por ter me criado numa família católica e isso para mim é um privilégio. Agradeço a minha mãe por ter me ensinado e me encaminhado na doutrina católica. Creio que as suas orações contribuíram muito para chegar aonde cheguei. Agradeço a todos que acreditaram e rezaram por mim, que o bom Deus abençoe a todos. Agradeço a Maria Mãe de Jesus e nossa mãe que sempre esteve ao meu lado. Rezemos pelas vocações, pois a messe é grande, mas poucos são os operários. A Igreja precisa de muitos e santos sacerdotes e religiosos”.