FMB se manifesta sobre estupros e trotes violentos

Em relação a denúncias sobre supostos casos de estupro e de trotes violentos envolvendo alunos do Câmpus de Botucatu da Unesp, a Diretoria da Faculdade de Medicina da Unesp, através de sua assessoria de imprensa, emitiu uma nota oficial sobre o assunto.

– Tanto a comissão central de recepção dos calouros, como as comissões das respectivas unidades do câmpus de Botucatu orientam os veteranos e os novos alunos sobre a proibição do trote. Entre as orientações, está ampla divulgação, via material impresso, pela internet e pelas redes sociais, dos canais de denúncia da Universidade disponíveis para aqueles que julgam ter sofrido ou presenciado abusos de qualquer natureza. Essas denúncias podem também ser feitas de forma anônima, mas, para a devida apuração, necessitam apresentar elementos factuais concretos que permitam uma apuração;

As denúncias de supostos casos de trote violento e de estupro recebidas pela Faculdade de Medicina vêm sendo objeto de processos administrativos na modalidade sindicância para que sejam feitas as devidas apurações. Uma comissão foi nomeada e já trabalha nas investigações que estão sob sigilo para preservar os envolvidos;

– Quanto ? s investigações sobre o suposto estupro, que serão conduzidas também pela Polícia local, a Faculdade tem plena certeza que serão tomadas as medidas cabíveis para identificação e apuração de responsabilidades e encaminhamento das punições de acordo com os procedimentos e normas legais.

– As ouvidorias das quatro unidades da Unesp em Botucatu, bem como as suas diretorias e o disque-trote (14) 3815-9000, continuam ? disposição para receber denúncias sobre eventuais abusos cometidos dentro ou fora de seus câmpus. A Diretoria da FMB estimula as vítimas a denunciarem.

– As quatro unidades da Unesp em Botucatu têm desenvolvido ações preventivas e de conscientização com os veteranos e calouros. No entanto, para que possam ser tomadas as medidas rigorosas cabíveis pela legislação interna, é preciso que as vítimas denunciem oficialmente os eventuais abusos de qualquer natureza. A punição para os infratores, regulamentada pela Resolução Unesp nº 86, de 4 de novembro de 1999, que dispõe sobre a proibição do trote na Unesp, varia conforme a gravidade do caso, podendo chegar ? expulsão.

Botucatu, 28 de abril de 2014

{n}{i}Assessoria de Comunicação e Imprensa da Faculdade de Medicina da Unesp – Câmpus Botucatu{/n}{/i}