FMB é premiada por aprimorar teste que monitora HIV

Um estudo desenvolvido por professores e alunos do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) conquistou o primeiro lugar, na categoria apresentação oral, durante a Jornada de Trabalho da Rede Nacional de Laboratórios para Contagem de Linfócitos TCD4/CD8, que aconteceu em Brasília-DF. O trabalho “Teste de SIA no monitoramento imunológico de pacientes HIV+”, foi desenvolvido no Laboratório de Citometria de Fluxo do Hemocentro de Botucatu pelos autores: Mariana Sartori Magnoni; Aline Márcia Marques Braz Rosso; Valéria Alves da Silva, Marjorie de Assis Golim e Paulo Eduardo de Abreu Machado.

Com objetivo de solucionar casos atípicos que impossibilitaram a realização da quantificação de linfócitos T CD4/CD8, exame considerado fundamental aos portadores de HIV, a equipe responsável pelo estudo realizou o teste de SIA, um exame simples, de baixo custo e funcional na detecção de euglobulinas/macroglobulinas.

No período de 18 meses, amostras que apresentaram distribuição celular atípica foram submetidas ao teste de SIA, que identifica a presença de euglobulinas/macroglobulinas por precipitação. Nos casos positivos, sequencialmente foi realizada a técnica de clarificação plasmática e novamente a imunofenotipagem, permitindo assim o sucesso na quantificação de linfócitos T CD4/CD8. Os resultados foram comparados ao histórico de exames dos pacientes, contido na base de dados do Sistema Interno de Controle de Exames Laboratoriais (SISCEL). Todos apresentaram-se de acordo com o perfil de cada paciente em exames anteriores.

Diante disso, evidencia-se a utilidade do teste SIA na triagem dos casos atípicos, permitindo a adequada análise por citometria. “Um maior número de pacientes vivendo com HIV deve ser avaliado de modo que os resultados possam sugerir adequações metodológicas nos protocolos da Rede Nacional, favorecendo assim o monitoramento dos pacientes”, explica Mariana Sartori Magnoni, mestranda do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia da FMB/Unesp, responsável pela apresentação oral do trabalho.

A expectativa é que essa técnica passe a ser utilizada pelos outros 92 laboratórios de Citometria de Fluxo que constituem a Rede Nacional e possa fazer parte do cronograma de treinamentos ministrados pelo Ministério da Saúde, que acontecem anualmente.
O Hemocentro de Botucatu mantém programa de Mestrado Profissional em Biotecnologia Médica, nota 4 na Capes (Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), sendo referencia para o Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde/Unesco.