Fatec e Etec optam pela manutenção de greve

Alunos e professores do Centro Paula Souza (Ceeteps), onde estão inseridas as Fatecs (Faculdades de Tecnologia) e Etecs (Escolas de Tecnologia), que estão em greve desde o dia 17 de fevereiro decidiram essa semana manter a paralisação com a finalidade de forçar o governo do estado a implantar o Plano de Carreira, que vem se arrastando desde 2011.

Embora o governador do Estado Geraldo Alckmin tenha encaminhado um projeto de plano de carreira ? Assembleia Legislativa, a propositura não atendeu as expectativas de alunos, funcionários e professores. O Sindicato dos Trabalhadores do Centro Paula Souza (Sinteps), que tem Silvia Elena de Lima na presidência afirma que a greve está amparada de toda a legitimidade.

Em entrevista ao {n}Acontece{/n} o professor Sérgio Augusto Rodrigues, um dos membros do movimento grevista em Botucatu, revelou que em todas as unidades há falta de professores e funcionários, os salários são os menores da educação profissional e tecnológica do Brasil e as condições de trabalho deixam muito a desejar.

Lembrou que durante o ano de 2013, houve várias negociações entre as partes e foi construída uma proposta considerada razoável pelos trabalhadores que aceitavam deixar de fora algumas reivindicações históricas, a fim de agilizar seu trâmite e ver o novo plano implantando naquele ano. “Embora tenha se comprometido a fazer isso a tempo de ser aprovado até o final do ano, o governo não cumpriu a palavra e o projeto aprsentado não atendeu as nossas expectativas. Por isso a greve continua”, disse Rodrigues.