Famílias assinam contratos do Residencial Jatobá

Fotos: Luiz Fernando

A Prefeitura de Botucatu, por meio da Secretaria Municipal de Habitação, em parceria com a Caixa Econômica Federal e o Grupo Pacaembu, promoveu na tarde da última quinta-feira (15), no Ginásio Municipal de Esportes Dr. Mário Covas Júnior, a assinatura dos contratos do módulo 1 do Residencial Jatobá. O mesmo será construído na região do Convívio e contará com um total de 274 unidades habitacionais.

O evento foi acompanhado pelo prefeito de Botucatu, João Cury Neto; secretário municipal de Habitação, José Carlos Broto; presidente da Câmara Municipal, Ednei Lázaro da Costa Carreira; superintendente regional da Caixa Econômica Federal, Geraldo Luiz Machado de Oliveira; vereador André Rogério Barbosa (Curumim); o gerente regional de obras, Nelson Alexandre Soares, e o gerente de contrato Leandro Munhoz, ambos do Grupo Pacaembu.

Na oportunidade, foram formalizados 144 contratos. As casas do novo conjunto habitacional contarão com sala, dois quartos, banheiro, cozinha e área de serviço, com 43,74 m² de área construída por unidade residencial em um terreno de 200m². O banheiro contará com azulejo até o teto, cozinha com azulejo na parede da pia e pisos cerâmicos em todos os ambientes, além de laje.

Cada unidade habitacional terá o valor de R$ 94.900, com financiamento junto ? Caixa Econômica Federal em até 360 meses. O empreendimento é voltado a famílias de três a dez salários mínimos e tem previsão de entrega para daqui a um ano.

O Residencial Jatobá é mais uma grande obra dentro do programa Minha Casa, Minha Vida 2, do Governo Federal. “Este é um passo importante para que possamos atingir nosso objetivo de construir 3 mil casas até 2016, visando a redução do déficit habitacional no nosso Município”, comenta o secretário municipal de Habitação, José Carlos Broto.

{n}Impressões{/n}

Para Patrícia Trindade, funcionária pública, a realização do sonho da casa própria será imprescindível para a conquista de sua independência. “Se trata do sonho de conquistar minhas próprias coisas, com meu dinheiro, sem depender dos meus pais ou de outras pessoas”, afirma.

Para o casal André e Andressa, o valor da unidade habitacional e o financiamento pela Caixa consistem em uma oportunidade única para obter o primeiro imóvel. “Acredito que essa é uma grande chance para a população adquirir sua primeira casa, visto os altos preços de terrenos nos dias atuais”, comenta André.

O prefeito de Botucatu João Cury Neto ressaltou que as obras do Residencial Jatobá serão entregues com toda a infraestrutura necessária aos futuros moradores, ou seja, água, luz, energia, sarjetas e asfalto. Além disso, a Prefeitura já planeja a disposição de serviços públicos como transporte coletivo e coleta de lixo.

“Nós nos comprometemos a construir duas casas por dia de 2013 a 2016, ou seja, um total de 3 mil casas, e estamos aqui cumprindo esse objetivo. Isso porque casa própria, numa pesquisa recente feita pelo Sebrae, foi apontada como o sonho número um dos brasileiros. Portanto, um Governo que se preza tem que, antes de tudo, procurar realizar os sonhos das pessoas. A casa para nós é muito mais do que um bem material. Ela é a proteção da família”, completou.

{n}Política habitacional{/n}

Uma das vertentes do programa Nosso Sonho, lançado pela administração municipal em 2009, é estabelecer parcerias e criar condições para a concretização de novos empreendimentos que levem ? construção de moradias populares em Botucatu. A meta é entregar 3 mil novas unidades até 2016.

De 2009 a 2012, a nova política habitacional implantada pela Prefeitura de Botucatu viabilizou 1.434 novas moradias populares e, consequentemente, o surgimento de três novos bairros: Santa Maria, Flora Rica e Maria Luiza.

Com o Residencial Jatobá, o Poder Público Municipal alcança a marca de 1.492 unidades habitacionais contratadas nos sete primeiros meses de 2013. Também em parceria com o Grupo Pacaembu serão construídas 632 unidades dos residenciais Jardim do Bosque 1 e 2 (entre os residenciais Santa Maria e Maria Luíza) e 499 unidades do Residencial Caimã (Rubião Júnior).

Outras 71 casas do Residencial Nova Esperança (Rubião Júnior) e mais 16 unidades da Vila Dignidade (Cohab 1) estão serão construídas pelo Poder Público Municipal em parceria com a Companhia de Desenvolvimento Habitacional Urbano (CDHU). Dessa maneira, a Prefeitura já contabiliza um total de 2.926 novas moradias contratadas desde 2009.

“Quando assumimos em 2009, pegamos um déficit habitacional de 10 mil pessoas. Botucatu teve, infelizmente, um vazio na construção de casas por um tempo e isso fez com que tivéssemos uma fila de espera muito grande de pessoas querendo ter casa própria. Agora estamos trabalhando para que esse quadro seja revertido”, enfatiza o prefeito.