Família faz embalsamento de cadela morta em acidente

O escultor e fotógrafo técnico pericial, Pedro César, que é reconhecido nacionalmente pelos trabalhos que desenvolve, principalmente, na confecção de peças e esculturas em bronze, realizou um trabalho de taxidermia (ato de empalhar ou embalsamar) em uma cadela de nome Mila. O animal pertence a uma família da cidade que procurou os serviços do escultor, já que não quis enterrar o animal para mantê-lo em seu estado natural.

A cadela, da raça York Shire, com cinco anos de idade, sofreu um acidente e teve traumatismo craniano. Passou por vários tratamentos por alguns meses, até morrer, causando uma grande comoção da família. O nome de quem encomendou o trabalho, por razões óbvias, permanecerá em sigilo.

“A família para obter lembranças da mesma e retirar a tristeza de todos, pediu que eu realizasse o trabalho de taxidermia. Aceitei desenvolver esse trabalho e com esta atitude entendo que pude melhorar o nível de sofrimento de todos aqueles que nutriam amor por este animal”, observou Pedro César.

Ele ressalta que embora o animal não se movimente, mostra sua presença
melhor do que em uma foto. “A cadela manteve suas formas reais, apenas não
possui seus movimentos, diminuindo assim em 80% o sofrimento e a falta
do animal. É mais bonito você conservar o que pode ser conservado do que jogar tudo ao lixo”, compara.

Vale lembrar que o escultor tem inúmeros trabalhos confeccionados espalhados por diferentes regiões do Brasil, em aço cromado, borracha, fibra de vidro, bronze, alumínio, cimento, musgo, pelúcia, esculturas mecanizadas e outros. Já recebeu 28 certificados de exposição, premiação por arte e criação no Rio de Janeiro e vários destaques em jornais, revistas e televisão da região. Também foi homenageado pela Academia Botucatuense de Letras (ABL), como escultor perfeccionista.

Entres seus trabalhos estão: a estátua de Nossa Senhora do Divino Pranto do Instituto Santa Marcelina do Brasil, as estátuas em bronze da dupla Tonico e Tinoco, em tamanho natural, para a Prefeitura de São Manuel; a estátua em tamanho natural, também em bronze, do fundador da cidade de Botucatu, Capitão José Gomes Pinheiro; o busto do cantor João Paulo, da dupla João Paulo e Daniel; estátuas em miniatura do jogador Pelé para a cidade de Santos/SP, que foram utilizadas para presentear os representantes de outros países que estiveram visitando aquela cidade, entre muitos outros.

Os mais recentes trabalhos do escultor foram o resgate físico do chupa-cabras, no ano passado e a confecção em bronze de uma imitação de um fuzil AR-15 usado em janeiro deste ano pelo programa Fantástico para uma reportagem sobre a fragilidade da segurança nos aeroportos brasileiros. Está em fase final o projeto “Museu do Folclore, que será montado em um caminhão e percorrerá várias regiões do Brasil. O museu traz personagens como o cavalo do Negrinho do Pastoreio, chupa-cabras, mula sem cabeça, lobisomem, entre outras.