Falta de apoio de funcionários põe fim ? greve na Duratex

Embora o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e Mobiliário de Botucatu e Região afirme que as negociações continuam, já que não foi consolidado um acordo, a greve decretada na manhã deste domingo, às 6 horas, na empresa Duratex foi encerrada. Às 18 horas desta segunda-feira, não havia mais nenhum sindicalista na porta de entrada da empresa, que está funcionando normalmente.

“Durante todo o domingo e parte dessa segunda-feira a empresa mostrou ostentação levando funcionários da produção de helicóptero para trabalhar, com o objetivo de diminuir o movimento deflagrado pelo sindicato e não atender as reivindicações da categoria. Mas não vamos esmorecer, porque temos aí dentro (da Duratex) 800 trabalhadores que estão sem reajuste e o sindicado vai lutar até as últimas consequências para mudar isso”, disse o diretor social do sindicato, José Luiz Fernandes.

Ele realça que a falta de adesão ao movimento foi configurado na manhã desta segunda- feira, às 7 horas, horário de entrada dos funcionários da administração (que não fazem turno) e são a maioria. Com a proteção da Polícia Militar (PM), os funcionários se recusaram a fazer parte do movimento e ir embora para casa como queriam os sindicalistas e todos entraram para trabalhar.

“A gente não pode criticar os funcionários que entraram para trabalhar,  pois foram pressionados e todos têm famílias para sustentar e ficaram com medo de demissões. Entendemos essa situação, mas na assembleia onde foi decidido pelo estado de greve 78% dos presentes não aceitou a proposta da empresa, por isso a greve foi decretada. O sindicato não faz nada sozinho e os trabalhadores é que decidem tudo em assembléia. O que a maioria decide a gente faz”,  explica Fernandes.

Na manhã de domingo o sindicato chegou a abrir um Boletim de Ocorrência (BO), sob a acusação de que a empresa estaria mantendo funcionários em cárcere privado, não permitindo que deixassem a empresa, para não parar a linha de produção.  Além disso, a direção da empresa teria buscado funcionários da linha de produção de helicóptero, decolando do aeroporto, de uma empresa e de um clube esportivo da cidade. Durante o dia, várias “viagens” teriam sido detectadas. Com isso a produção da empresa não foi interrompida.

O sindicato pleiteia 6,06% do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de reposição salarial equivalente as perdas do período e mais de 1,5% de aumento real, totalizando 7,56%, vale-alimentação de R$ 150,00 entre outros. Já a Duratex apresentou ao sindicato a proposta de reajuste salarial de 6,06% retroativo a julho de 2014, aplicável a todos colaboradores, equivalente à reposição integral da inflação. Além disso, a Empresa também ofereceu a redução de 39% no custo da co-participação em consultas médicas de Pronto Atendimento da Unimed, passando de R$ 18,00 para R$11,17, além da garantia de manutenção das demais cláusulas do Acordo Coletivo anterior.