Embraer anuncia férias coletivas em fábricas no Brasil

 

embraer
Foto Embraer/divulgação

Embraer, fabricante de aeronaves com sede em São José dos Campos (SP), anunciou nesta sexta-feira (16) que vai conceder férias coletivas a partir de outubro para funcionários das fábricas no Brasil. O número de trabalhadores atingidos pela medida não foi informado pela empresa.

De acordo com a Embraer, a medida tem como objetivo adequar o ritmo da produção à desaceleração da demanda. As férias coletivas serão concedidas a funcionários de alguns setores, mas não haverá parada na produção de aeronaves.

A empresa informou ainda que as coletivas são uma antecipação das férias regulares dos empregados. Os funcionários afetados pela medida já foram informados pela companhia.

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, as férias coletivas abrangem funcionários dos setores de aviação executiva e comercial. Em São José, o primeiro grupo a ser afatado será da aviação executiva – o período de dispensa será de quase 30 dias, de 24 de outubro a 22 de novembro. Já na comercial, o recesso será de 10 dias, sendo de 7 de novembro a 6 de dezembro.

“Somos contra a férias coletivas e também contra o PDV porque são ações decorrentes da transferência da linha de montagem para os Estados Unidos e também do suposto envolvimento da empresa com corrupção”, disse Andre Luis Gonçalves, diretor do sindicato.

Nas fábricas e subsidiárias, como a Eleb, que mantém no Brasil e no exterior, a Embraer tem atualmemente cerca 19 mil empregados – sendo 13 mil em São José dos Campos. As fábricas no Brasil ficam, além de duas em São José, também em Taubaté, Sorocaba, Botucatu e Gavião Peixoto. (Fonte G1.com)

PDV em Botucatu atingiu 6,5% dos funcionários

embraerA Embraer, uma das maiores fabricantes de aeronaves do mundo, finalizou, na última quarta-feira (14), seu Plano de Demissão Voluntária (PDV), que teve início no último dia 23 e integrou o pacote de medidas para contornar a crise do setor. Em Botucatu, 6,5% da equipe decidiu aderir ao programa. Isso surpreendeu o sindicato da categoria, que esperava baixa aceitação.

Segundo o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Botucatu e Região, Miguel Ferreira da Silva, dos 1,7 mil funcionários da empresa, 110 serão desligados a partir do próximo dia 3 de outubro. “A Embraer abrigava muitos trabalhadores já aposentados e a maioria aderiu ao plano. Mais fácil sair com a indenização proporcional ao tempo de empresa, de 40% de salário nominal por ano de casa, do que sair sem nada”, justifica.

Essa indenização integra o pacote de incentivos, que também ofereceu pagamento rescisório, equivalente ao do desligamento sem justa causa – com aviso prévio, incluindo quinquênios, férias, abono de férias, 13.º salário proporcional e 40% do FGTS. O PDV também é isento de Imposto de Renda, conforme prevê a legislação.

embraerA Embraer ofereceu, ainda, pagamento de seis meses dos planos de saúde e de assistência odontológica para o empregado e seus dependentes já cadastrados, além de apoio e orientação durante o processo de transição de carreira ou de aposentadoria.

O sindicato, por sua vez, acredita que o programa acabou sendo mais vantajoso à empresa do que aos trabalhadores. “Normalmente, outros planos preveem pagamento integral de salário nominal por ano de casa, não apenas 40%”, defende.

O presidente do sindicato teme, ainda, que haja mais demissões daqui para a frente. “Não sabemos o que a Embraer vai fazer de agora em diante”, acrescenta. (Fonte Jcnet)

Assessoria envia nota ao Acontece Botucatu

Depois da matéria publicada pelo JCNet, a assessoria de imprensa da Embraer enviou a seguinte nota à redação do Acontece Botucatu:

A  Embraer encerrou anteontem, quarta-feira, 14 de setembro, o período de inscrições ao seu Programa de Demissões Voluntárias (PDV), com um total de  1.470  empregados  interessados.  A partir de agora, todas as inscrições serão avaliadas pela empresa e os inscritos serão informados sobre a aceitação  da adesão até o dia 23 de setembro. Os empregados que tiverem a adesão ao PDV confirmada terão seu desligamento realizado na 1ª semana de outubro de 2016.

O  PDV foi anunciado em 8 de agosto como parte de uma série de medidas de redução de custos que vem sendo adotada pela empresa, visando superar o cenário  desafiador  enfrentado hoje pela indústria aeroespacial e garantir a perenidade da empresa. A Embraer acredita que o PDV dá oportunidade de  decisão  para  os  empregados  e,  desta forma, traz o menor impacto possível, por trazer um pacote de incentivos para aqueles que julgarem o momento propício para novos desafios profissionais ou pessoais.