Duratex participa do Sistema de Comércio de Emissões

Criado em 2013, o Sistema precifica o carbono e simula o comércio de emissões de Gases de Efeito Estufa entre as empresas participantes, com o objetivo incentivar a redução

 

A Duratex está entre as 23 empresas que participam do Sistema de Comércio de Emissões, promovido pelo Centro de Estudos em Sustentabilidade, da Fundação Getulio Vargas (GVces). Criado em 2013, o Sistema precifica o carbono e simula o comércio de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) entre as empresas participantes, com o objetivo de oferecer ao setor empresaial uma experiência prática e realista de um sistema “cap and trade” (onde as emissões totais são fixadas ou limitadas) e de incentivar a redução das emissões.

Nesta simulação a quantidade de emissões de GEE que o grupo de empresas pode emitir é previamente determinada. O limite estabelecido é convertido em títulos que são colocados no mercado para negociação. Caso a empresa reduza suas emissões, poderá comercializar seus créditos de carbono, assim como a organização que ultrapassar a sua cota deverá comprar permissões nos leilões ou de empresas que emitiram abaixo do estabelecido.

Os dados de emissão de GEE utilizados na simulação são reais e estão acessíveis no Registro Público de Emissões. Já os títulos e recursos financeiros são fictícios e negociados na plataforma online BVTrade, oferecida pela Bolsa de Valores Ambientais do Rio de Janeiro.

A iniciativa faz parte da Plataforma Empresas pelo Clima (EPC), da FGV. O relatório com os resultados obtidos nos meses de março a agosto de 2015 mostrou que as organizações estão buscando conciliar suas emissões reais do ano com os títulos disponíveis no mercado, além de otimizar seus resultados financeiros com o menor custo possível de conciliação. 

 

Na prática, em 2014, a Duratex reduziu 18% das emissões de GEE, em relação ao ano-base 2012, no escopo 1, ou seja, as emissões diretas de GEE provenientes de fontes que pertencem ou são controladas pela empresa.

A redução de emissões de GEE é uma das metas da Plataforma de Sustentabilidade, lançada pela Duratex em 2013. “Uma das principais ações da companhia para alcançar essa meta é o aumento da participação de biomassa na matriz energética. Hoje as operações de painéis já utilizam 55% dessa fonte de energia, que tem contribuído para o meio ambiente e uma sociedade mais sustentável”, afirma Luciana Alvarez, gerente de Sustentabilidade da Duratex.

 

Sobre a Duratex

A Duratex S.A. é uma empresa brasileira, privada e de capital aberto, controlada pela Itaúsa – Investimentos Itaú S.A e pela Companhia Ligna de Investimentos. É uma das 10 maiores empresas do mundo nos setores nos quais atua e a maior produtora de painéis de madeira industrializada e pisos, louças e metais sanitários do Hemisfério Sul, além de líder no mercado brasileiro com as marcas Durafloor, Duratex, Deca e Hydra.

Com sede em São Paulo, possui 15 unidades industriais estrategicamente localizadas (Estados de Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Sergipe e São Paulo), além de três fábricas de painéis na Colômbia por meio de sua participação de 80% na Tablemac. Em 2014, a Duratex criou a Caetex, joint venture para o plantio de florestas de eucalipto em Alagoas, e, em julho de 2015, adquiriu a Duchas Corona para ampliar sua participação no segmento de chuveiros e torneiras elétricas.

Suas ações estão listadas no índice Dow Jones Sustainability Emerging Markets Index (DJSI – Índice Dow Jones de Sustentabilidade para Mercados Emergentes), no Novo Mercado (o mais elevado padrão de Governança Corporativa) e na nova versão 2015/2016 do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE), da BM&FBovespa.