Dia 22 de março: Dia mundial da Água

O Dia Mundial da Água foi criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) no dia 22 de março de 1992. A data é destinada a discussão sobre os diversos temas relacionadas a este importante bem natural.

No dia 22 de março de 1992, a ONU também divulgou um importante documento: a “Declaração Universal dos Direitos da Água”. Este texto apresenta uma série de medidas, sugestões e informações que servem para despertar a consciência ecológica da população e dos governantes para a questão da água.

Apesar de o nosso planeta ser repleto de água, estima-se que apenas 0,77% esteja disponível para o consumo humano em lagos, rios e reservatórios subterrâneos. Vale destacar, no entanto, que essa quantidade não está distribuída igualmente por todo o território, consequentemente, existem locais onde esse recurso é considerado bastante valioso.

Botucatu e o Aquífero Guarani

A cidade de Botucatu está localizada na borda do chamado Aquífero Guarani, uma das maiores reservas de água subterrânea do mundo e a maior da América do Sul. O Aquífero é uma formação geológica com muita areia e pouca argila, características que facilitam a absorção das águas das chuvas que ficam confinadas em rochas a centenas de metros de profundidade.

De acordo com a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) as cidades de Pardinho, Conchas, São Manuel, Torre de Pedra, Bofete e Itatinga, todas na mesma região, possuem mais de 40% de sua área no afloramento do Aquífero Guarani.

O Aquífero Guarani se espalha também pelos territórios da Argentina, do Paraguai e do Uruguai, mas pelo menos 70% dele está no Brasil, ocupando oito estados. As estimativas apontam que 15 milhões de pessoas vivem nas áreas abrangidas pelo Aquífero.

Fonte: www.permitaseviver.com.br e www.brasilescola.uol.br

 

Superintendente da Unidade de Negócio Médio Tietê – Sabesp se manifesta sobre o dia mundial da ÁGUA

No Dia Mundial da Água, Botucatu tem grandes motivos para comemorar; Os avanços no saneamento da cidade que se orgulha de ser 300%

Na época em que a Sabesp assumiu os serviços de água e esgoto na cidade de Botucatu, em 1974, os habitantes da região não tinham muito do que se orgulhar quando o assunto era saneamento.  Os indicadores não eram animadores. No início da operação dos serviços pela empresa, o município registrava 86 óbitos de menores de um ano por mil nascidos vivos. Falta de água e ausência de coleta e tratamento de esgotos faziam parte da rotina dos moradores. 

Para reverter esse quadro, muito trabalho, dedicação e parceria marcaram a relação da Sabesp com a população botucatuense. E os resultados vieram! 

Hoje, Botucatu, que abriga cerca de 135 mil moradores, possui um sistema de saneamento básico comparável às cidades de países desenvolvidos. Ao longo de mais de quatro décadas, a Sabesp conseguiu atingir 100% de abastecimento de água, 100% de coleta e 100% do seu esgoto tratado, transformando Botucatu em uma cidade 300%. Nos últimos anos foram investidos mais de R$ 52 milhões na ampliação dos sistemas de água e esgoto e o atual contrato, firmado em 2010, prevê investimentos de R$ 102,9 milhões até o fim da concessão.

Segundo os dados divulgados pela Fundação Seade, o índice de mortalidade infantil na região caiu para aproximadamente 4,8 óbitos por mil nascidos vivos. Além de trazer benefícios para a saúde da população, os impactos positivos gerados pelos empreendimentos da empresa ao longo desses anos também foram sentidos no meio ambiente, com a despoluição dos córregos e corpos d’água que cortam a cidade. Entre os exemplos estão o Lavapés, Tanquinho, Água Fria, Desbroado e Tijuco Preto, rios urbanos que deixaram de receber as cargas poluidoras, devido à eliminação dos lançamentos dos esgotos in natura, contribuindo para melhoria da qualidade das águas, resgatando a biodiversidade aquática e cooperando com a sustentabilidade dos ecossistemas naturais, com consequências diretas na fauna e flora. 

Agora, olhando para trás, podemos notar que a Sabesp enfrentou tempos difíceis – mais recentemente a crise hídrica de 2014. Com garra, comprometimento e muito trabalho, vencemos. Não deixamos faltar água em nenhum dos 35 municípios da regional. Para isso, antecipamos investimentos que estavam previstos para o futuro, construímos novas captações, remodelamos sistemas, passamos a trabalhar diretamente nas captações e mananciais de abastecimento, para monitorar a vazão dos rios e evitar o desabastecimento.

Nesse período nossas forças se concentraram no enfrentamento da crise hídrica, porém, não deixamos de lado nossa missão de ampliar nossa estrutura e ser a melhor empresa em saneamento básico do Brasil. Renovamos contratos, ampliamos serviços sociais, como o Programa Se Liga na Rede; iniciamos o trabalho de secagem e compostagem do lodo de esgoto na Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) Lageado, um marco no Estado; instalamos o CCO (Centro de Controle Operacional), que auxilia no monitoramento do abastecimento nos municípios da regional do Médio Tietê; fomos contemplados com o selo Município Verde e Azul em 2012, 2014 e 2015; automatizamos Estações de Tratamento de Água (ETAs) para aprimorar o atendimento aos nossos clientes; reclassificamos o ribeirão Lavapés, que era considerado pelos munícipes um “rio morto”, com mau cheiro e sem peixes, mas que hoje conta com água limpa, sendo motivo de satisfação e alegria para a população. Botucatu é uma das poucas cidades brasileiras que conta hoje com um rio urbano despoluído. 

Por essas conquistas ao longo desses anos, Botucatu tornou-se um dos principais centros de saneamento da região, abrigando a sede da regional da Sabesp, que atende 35 municípios abastecidos pelas bacias hidrográficas dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí; Tietê e Sorocaba; e Tietê e Jacaré. Neles, está concentrada uma população de aproximadamente 1 milhão de habitantes. A Regional de Botucatu tem hoje 680 funcionários, 295 mil ligações de água, 247 mil ligações de esgoto, 31 Estações de Tratamento de Água, 89 poços e 48 Estações de Tratamento de Esgotos. Nessa região a Sabesp está investindo mais de R$ 315 milhões de 2011 a 2016 para universalizar o saneamento nas 35 cidades atendidas.

Por tudo isso, neste dia 22 de março – data em que se comemora o “Dia Mundial da Água” -, a população botucatuense tem muitos motivos para celebrar.

Neste ano, a programação para a Semana da Água em Botucatu tem dois focos que, por meio de diversas atividades em parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, pretendem promover uma reflexão na população sobre o significado da água para a vida na Terra. O primeiro é “Água e Empregos: Investir em Água É Investir em Empregos”, que é o tema da Organização das Nações Unidas (ONU) para 2016, tendo o objetivo de salientar como a quantidade e qualidade da água potável pode mudar vidas e meios de subsistência dos trabalhadores e até mesmo transformar as sociedades e economias. O segundo tema é o da campanha da fraternidade ecumênica da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), “Casa Comum, Nossa Responsabilidade”,  que aborda o saneamento e a qualidade da água. 

A partir de nossa programação, vamos pegar os focos das discussões e chamar a atenção para o aspecto de que a água move vidas e que a responsabilidade de proteger e gerir este recurso frágil e finito é de todos. Não podemos prosperar sem água limpa e abundante. Neste Dia Mundial da Água, a mensagem que precisa ser difundida é pelo reforço da cooperação. A água é um recurso comum. Vamos usá-lo de forma mais inteligente e desperdiçar menos para que todos tenham a sua quota-parte. 

Mário Eduardo Pardini Affosenca 
Superintendente da Unidade de Negócio Médio Tietê – Sabesp