Devido as fortes chuvas Tomodati é transferido

A comissão organizadora da segunda edição do “Tomodati” – Festival Botucatuense de Cultura Japonesa informa que, devido as fortes chuvas que caíram sobre a Cidade, o evento que seria realizado no Espaço Cultural “Dr. Antonio Gabriel Marão”, neste final de semana (14,15 e 16), foi transferido para os dias 28, 29 e 30 deste mesmo mês.

{n}Sobre o Tomodati 2011{/n}

O Festival de Cultura Japonesa de Botucatu – Tomodati – foi realizado pela primeira vez em 2010, como iniciativa da Associação Botucatuense de Cultura Japonesa e a Prefeitura de Botucatu com apoio da Unesp, Consulado Geral do Japão em São Paulo, Fundação Japão e da Japan International Cooperation Agency (JICA). O evento tem como finalidade apresentar e divulgar a cultura japonesa, nas diversas áreas como esportes, músicas, danças, artes manuais, culinárias, entre outras.

Apesar da distância geográfica, o Brasil é um dos países onde vivem mais japoneses e descendentes que moram fora do Japão. Segundo o Consulado Geral do Japão em São Paulo, o último censo que abordou detalhadamente o número da população da colônia japonesa no Brasil foi realizado em 1988, e na época apontava que o País já acolhia 1.228.000 pessoas que eram de famílias nipônicas. Deste público, 887.000 pessoas viviam no Estado de São Paulo, boa parte no interior paulista.

O relacionamento do Brasil e o Japão já tem mais de 100 anos. As primeiras famílias, boa parte delas formadas por agricultores, aportaram em nosso País com o navio “Kasato-Maru” em junho de 1908. Elas permaneceram por alguns dias na Hospedaria dos Imigrantes, atual Museu do Imigrante, na Capital, antes de seguir viagem pelas ferrovias para as fazendas de café no interior do Estado de São Paulo e outros estados.

Em Botucatu, as primeiras famílias japonesas começaram a chegar ainda na década de 40 para trabalhar no comércio. Posteriormente, após 1950, mais imigrantes vieram ? Cidade dos Bons Ares. Dividiram e constituíram-se na Fazenda Santa Marina onde trabalhavam principalmente no cultivo de pêssego e formaram uma cooperativa, onde se encontra o maior reduto da colônia no Município. A Praça Brasil-Japão, com seu paisagismo, arcos e fonte, marca e homenageia a cultura japonesa enraizada em Botucatu.