Dedo na ferida – O vereador é a “bola da vez”

Por Quico Cuter

 

Bola da Vez

A bola da vez agora é o salário dos vereadores. Foi iniciada uma movimentação popular em diversas cidades que visa uma drástica redução nos subsídios. O que ocorre é que o brasileiro, de uma maneira geral, ganha muito pouco e uma grande parcela da população vive na miserabilidade total. Se fizermos este tipo de comparativo podemos dizer que o salário do vereador, definitivamente, é obsceno. E não é só essa a bronca geral. A maioria dos vereadores (e não me refiro somente aos de Botucatu) tem um trabalho paralelo e ganha mais no Legislativo. Não existe nada de ilegal nisso, mas fica atravessado na garganta do cidadão ver um legislador  receber dois salários, num país onde o salário mínimo é,  realmente,  o mínimo e o desemprego é alarmante. O ideal, para evitar esse tipo de especulação, seria que o eleito se desligasse (pedindo afastamento temporário) do emprego para se dedicar somente as causas públicas. Mas o eleitor também deveria se interessar mais pela atuação do vereador que ajudou a eleger e cobrar deles, se for o caso, maior produtividade.  Isso se faz comparecendo mais a Câmara Municipal. A consulta é livre e pode ser feita por qualquer cidadão.  

 

Bola da vez II

Se os manifestantes entendem que o salário de vereador é alto para a função que exercem, não podem se esquecer que nas assembléias legislativas e Congresso Nacional, o subsídio pago a cada parlamentar é um absurdo, se comparado ao que ganha 95% da população. Além do salário o parlamentar tem direito a muitos outros  benefícios e muitas outras verbas para exercer o mandato. Até o paletó que usa é pago com dinheiro público. Para completar recebe uma “gorda” verba extra para contratar assessores, que nem sempre são confiáveis. O ideal seria permitir somente contratações de assessores sem nenhuma mácula.

 

Rotatividade política

Seria interessante, também, que houvesse uma rotatividade maior de políticos ocupando cargos públicos. Temos políticos que estão no poder há dezenas de anos, ininterruptos. Só fizeram isso durante a vida e não medem esforços para conseguir a reeleição. Vendem a alma para o diabo, ou melhor, barganham. Caçarola!  Sempre me posicionei contra sucessivas reeleições, para que cabeças pensantes novas tomem conta da política. Sou, visceralmente, contra até reeleições para síndico de prédio. A rotatividade deveria permear os trabalhos legislativos. Porém, temos gente lá no Congresso Nacional, os  chamados “dinossauros”,  que estão no poder há mais de 50 anos ininterruptos. Um “poucão” mais rico a cada novo mandato. 

 

Rotatividade política II

Com todo respeito aos idosos, mas cada um tem que saber o momento de parar. E isso fica latente na política.  Claro que a idade não é empecilho para ninguém de trabalhar, mas chega um momento em que não há outra coisa a fazer a não  ser   “pendurar as chuteiras”.  Se o peso da idade não está mais acompanhando o peso da responsabilidade de legislar e o raciocínio lógico, é hora de ir para casa. Cebolas!  A natureza humana é assim. Ninguém é eterno. Nem José Sarney, que foi o maior câncer da política nacional.

 

Mundo do facebook

O facebook é realmente uma ferramenta maravilhosa que diminui a distância e aproxima as pessoas. Porém, tem gente que poderia fazer melhor uso dessa tecnologia que está ao alcance de todos. Há quem faz questão de contar cada minuto de seu dia, ou seja, o que fez,  o que está fazendo e o que pretende fazer. Pipocas! Essas pessoas têm que entender que a vida dela só interessa a ela e não tem tanta importância assim para outros.  Se liga, meu!  

 

Prefeitáveis para 2016

São citados:

Caco Colenci (advogado e secretário de Governo), Mário Ielo (ex-prefeito e arquiteto), Junot de Lara Carvalho (ex-vereador e advogado), Antônio Luis Caldas Júnior (vice-prefeito e professor), Lelo Pagani (vereador e unespiano) Caio Paganini  (empresário e jornalista), Carlos Negrisoli (presidente do Sindicato dos Comerciários), Mário Pardini (superintendente da Sabesp), André Rogério Barbosa – Curumim (presidente da Câmara Municipal), Waldemar Pereira de Pinho (ex-vereador, ex-prefeito, médico sanitarista),  Ednei Carreira (vereador e aposentado da Unesp), Alessandra Lucchesi de Oliveira (professora e secretária de Educação), André Peres (engenheiro e  secretário de Obras),  Milton Bosco (engenheiro e secretário de Agricultura),  Carlos Roberto de Souza –  Beto (advogado), Joel Spadaro (ex-prefeito e professor doutor da Unesp). Abelardo da Costa Neto (ex-vereador e sindicalista), Reinaldo Mendonça Moreira – Reinaldinho (vereador e PM reformado), Rubens de Almeida – Alemão (unespiano e presidente do Grupo de Voluntários), Gustavo Bilo (advogado).  Ufa!!!!

 

Frase

“Quer conhecer um caráter de um homem? Dê poder a ele.

Até a próxima!