Corinthians dá grande passo para a final da Libertadores

Um gol isolado do meio campista Emerson Sheik aos 27 minutos do primeiro tempo contra o Santos, na Vila Belmiro, fez o Corinthians dar um grande passo para disputar a final da Copa Libertadores da América. Um empate contra o mesmo Santos na próxima quarta-feira (20) no estádio do Pacaembu, em São Paulo, coloca o time do Parque São Jorge na final.

O Santos precisará vencer por dois gols de diferença ou por um, desde que com placares a partir de 2 a 1, para passar ? final. Uma vitória simples, também por 1 a 0, leva o jogo aos pênaltis. A outra vaga da final virá do jogo entre Boca Júniors (Argentina) e Universidad (Chile).

Com a Vila Belmiro lotada, o Santos que tem o melhor ataque do campeonato não conseguiu furar o bloqueio defensivo da equipe corintiana que tem a melhor defesa e soube segurar o resultado, mesmo depois de expulsão de Emerson aos 32 minutos do segundo tempo, por entrada violenta contra Neymar. O Corinthians é o único time invicto da Libertadores.

{n}O confronto{/n}

O começo do jogo foi de estudos entre as duas equipes e somente aos 10, o volante corintiano Ralf fez a primeira tentativa, chutando de fora da área, o goleiro Rafael não teve dificuldade para fazer a defesa. O time da casa, por sua vez, tentava jogadas, principalmente, pela direita com Elano, que, nos cruzamentos tentava encontrar Neymar ou Alan Kardec na área.

O gol corintiano aconteceu aos 27 minutos do primeiro tempo, quando Paulinho avançou pela intermediária e tocou para Emerson, que livre pela esquerda acertou um chute indefensável no ângulo esquerdo do goleiro Rafael.

Aos 42 minutos, Adriano fez boa jogada com Juan pela esquerda, que chegou ? linha de fundo e tocou para Elano, sozinho, chutar em cima do zagueiro corintiano e desperdiçar grande oportunidade de empatar.

No segundo tempo, o jogo manteve o mesmo panorama, com o Santos pressionando, mas parando no forte esquema defensivo corintiano. Aos 5 minutos, depois de cobrança de escanteio, o zagueiro Durval obrigou o goleiro Cássio a fazer grande defesa. Em outro lance, aos 10 minutos, Juan cruzou e Borges tentou marcar de cabeça.

Procurando segurar o resultado, o Corinthians teve sua melhor chance aos 15 minutos, quando Emerson recebeu perto da área, mas acabou caindo em disputa de bola com Durval. Ele pediu pênalti, mas o árbitro entendeu como lance normal.

Aos 32 minutos Emerson foi expulso por jogo violento e aos 34 minutos, mais uma boa defesa de Cássio, em chute de Juan depois de cobrança de escanteio. Aos 38 quando o Santos pressionava pelo empate, a partida foi interrompida, primeiro por uma confusão em campo entre jogadores dos dois times e depois pela falta de energia na Vila Belmiro, que deixou o jogo parado por 18 minutos.

Já aos 42 minutos, depois do “apagão”, o Santos teve a chance de empatar em um lançamento de Ganso para a área, entretanto Neymar e Borges, os dois querendo finalizar, acabaram se atrapalhando. Foi este o derradeiro lance com chance de gol da partida.

A partida com renda de R$ 969.701,00 teve um público de 14.788 pagantes e foi comandada pelo árbitro, Marcelo de Lima Henrique, tendo como assistentes Dibert Pedrosa e Roberto Braatz. Carjey Além da expulsão de Emerson, o juiz puniu com cartão amarelo: Neymar (Santos) e Alessandro, Cássio, Chicão e Leandro Castán (Corinthians);

Santos: Rafael, Henrique, Edu Dracena, Durval e Juan; Adriano, Arouca (Felipe Anderson), Elano (Borges) e Ganso; Neymar e Alan Kardec (Dimba). Técnico: Muricy Ramalho.
Corinthians: Cássio, Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Alex (Wallace); Jorge Henrique e Émerson. Técnico: Tite.

Fotos: Divulgação