Chuvas voltam a causar danos em diferentes pontos da cidade

A secretaria de Segurança Pública, por intermédio da Guarda Civil Municipal (GCM) e Defesa Civil, foi muito acionada durante a madrugada desta terça-feira por conta das fortes chuvas que caíram na cidade, inundando várias casas, em diferentes pontos.

Também foram registrados casos de excesso de água das chuvas em vias públicas tendo como pontos mais conflitantes, a região da Avenida Vital Brazil, em frente ao Terminal Rodoviário, Elevado Bento Natel e Avenidas Leonardo Villas Boas e Dante Delmanto.

{n}Casas alagadas {/n}

O caso onde a água causou maior estrago foi na Rua Marechal Deodoro, nº 4, região central da cidade, onde o nível do Rio Lavapés subiu a uma altura de mais de cinco metros, atingindo a casa de João Carlos Colino.
“Eu olhei para fora e vi que o nível da água estava subindo muito rapidamente. Entrei e pouco depois ouvi um barulho como se tivesse um vento muito forte. Olhei para fora e a água já estava entrando pela porta da cozinha. Peguei minha mulher e saímos dali. Quando a chuva diminuiu voltei e me deparei com a casa toda inundada. Passei a noite e a manhã inteira tirando água e lama”, lembra Colino

Na região do ribeirão Lavapés, um morador teve sua residência alagada, causando vários danos em objetos pessoais. O mesmo ocorreu no Jardim Bom Pastor, onde uma pessoa denunciou que obras realizadas no imóvel vizinho teriam contribuído para o alagamento de sua residência.

Nas Ruas Santos Dumont e Antonio Bernardo e na Rua Coronel José Vitoriano Villas Boas, por volta das 3h20, foram atendidos mais três casos de residências que foram inundadas pelas águas das chuvas, causando danos materiais aos proprietários dos imóveis.

{bimg:16763:alt=interna6:bimg}

{n}Muro desaba{/n}

No Bairro Alto foi registrado o desabamento de parte do muro da garagem do transporte escolar, que cai sobre um dos veículos, danificando parte do teto traseiro. Outros veículos próximos foram arrastados pelas águas colidindo entre eles. A iluminação também foi comprometida com a queda de um poste de energia elétrica.

{bimg:16747:alt=interna1:bimg}

{n}Zona rural{/n}

Também na zona rural do Município, foram registrados problemas com erosão e pontes danificadas. O coordenador da Defesa Civil, Domingos Chavari Neto, esteve em diferentes lugares com a viatura, prestando ajuda aos moradores.

“Meu telefone não parou de tocar a manhã toda. Na zona rural tivemos vários problemas como o da estrada do Mira, na Serra da Bocaina, que deixou moradores ilhados na casa. Estamos elaborando um documento onde estão registrados todos os problemas que serão encaminhados ? secretaria competente para que sejam sanados”, disse Chavari.

{bimg:16748:alt=interna2:bimg}

{n}Limpeza em avenida{/n}

O Rio Água Fria, que corta a região do terminal Rodoviário e Associação Atlética Ferroviária, (AAF) voltou a transbordar jogando grande quantidade de água e lama na Avenida Vital Brazil. Em razão disso, funcionários da Prefeitura Municipal passaram toda a manhã retirando lama e resíduos deixados pela inundação.

{bimg:16749:alt=interna2:bimg}

{n}Transmissão de TV{/n}

As fortes chuvas também geraram problemas na torre de TV do Jardim Paraíso. O principal deles está relacionado ao transmissor da Rede TV (canal 42) que foi danificado deixando a emissora temporariamente fora do ar.

“Estou tentando contato com o setor técnico da emissora para que eles possam vir ? cidade providenciar os reparos. Mas por enquanto não existe prazo para que o canal volte ao ar”, explica Ilson Tavares, operador da torre de TV.

{bimg:16750:alt=interna4:bimg}

{n}Fazenda Lageado{/n}

Ainda sobre as chuvas ocorridas, houve o comprometimento da cabeceira da ponte sobre o Ribeirão Lavapés que dá acesso ? área histórica da Fazenda Lageado e ? Rodovia Alcides Soares. A direção da Faculdade de Ciências Agronômicas solicitou imediata avaliação de engenharia sobre os danos ocorridos.

Preventivamente, a direção da FCA proibiu o tráfego de caminhões e veículos pesados até a realização e divulgação do laudo de engenharia. Também preventivamente, a direção da FCA solicita aos condutores de veículos leves que procurem rotas alternativas.
Foto: Divulgação

{bimg:16751:alt=interna5:bimg}

Fotos: Valéria Cuter / David Devidé