Casas noturnas de Botucatu terão fiscalização intensificada

Representantes da Defesa Civil, Secretaria Municipal de Segurança e Direitos Humanos, Guarda Civil Municipal (GCM), Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e setores de fiscalização da administração municipal, deverão atuar, conjuntamente, junto ? s casas noturnas de Botucatu, além de outros estabelecimentos que oferecem música ao vivo e reúnem grande público.

“Pela extensão da tragédia ocorrida na boate Kiss, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, esse é um momento de profunda tristeza para todos nós, mas também de muito aprendizado. Montagem desse grupo de trabalho terá o objetivo de atuar na orientação, prevenção, fiscalização e melhoria das condições de segurança das casas noturnas e estabelecimentos comerciais que recebem grande fluxo de pessoas”, explica Paulo Renato da Silva (foto), coordenador da Defesa Civil do Município.

Os trabalhos serão iniciados já nesta sexta-feira (1/2) com a realização da primeira reunião dos representantes de instituições que estarão envolvidas nas ações. A ideia é discutir medidas e novas condutas a partir de agora, reforçando a segurança para os freqüentadores e funcionários de casas noturnas.

“Precisamos adotar medidas efetivas de prevenção. Que essas casas tenham condições de orientar seus funcionários para que aquela série de erros ocorridos em Santa Maria e que contribuíram para aquela tragédia não venha a se repetir em nosso município. Vamos envolver também representantes de secretarias que trabalham com fiscalização e regulamentação de alvarás. Na reunião vamos levantar todos os procedimentos a serem adotados, as ações de orientação e de fiscalização e depois as medidas de caráter permanente”, antecipa Paulo Renato.

Um dos pontos que será abordado pelo trabalho é a fiscalização da documentação dos estabelecimentos comerciais, bem como se as exigências de segurança necessárias para a concessão do Laudo de Vistoria do Corpo de Bombeiros e, consequentemente, na emissão do Alvará de Funcionamento continuam a ser cumpridas pelos responsáveis.

“Vamos atuar em caráter preventivo e de orientação, mas a população também espera que sejamos rigorosos na verificação do cumprimento da legislação que trata de itens como o laudo de lotação, se as saídas de emergência estão disponíveis e liberadas, se os funcionários estão preparados e se os equipamentos de segurança estão de acordo”, explicou o coordenador da Defesa Civil.