Casas de Apoio visam serviços humanizados para pacientes

Fotos: Valéria Cuter

 

A Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar (Famesp) da Unesp de Botucatu mantém quatro  Casas de Apoio para prestar atendimento a  pacientes e  acompanhantes de Botucatu e cidades da região, estado e país, que se  utilizam dos trabalhos do Hospital das Clínicas (HC), com  direito ao café da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e lanche noturno.

Essas casas, com capacidade para 114 leitos, estão situadas dentro do campus da Unesp  o que facilita o atendimento dos pacientes em tratamento, principalmente nos casos de emergência. O programa também torna mais simples o acesso para consultas, já que o paciente não precisa percorrer longas distâncias e nem dispor de condições financeiras para se hospedar na cidade.

“Esse trabalho vem sendo desenvolvido há alguns anos e, gradativamente, fomos aumentando  os espaços, de acordo com as necessidades. A evolução da Famesp sempre caminhou  com as atividades sociais. Deus tem sido  generoso comigo, permitindo que eu seja uma peça desse projeto  maravilhoso que dá um pouco de conforto e atendimento humanizado para as pessoas que necessitam”, colocou Rubens de Almeida, o Alemão,  responsável pelas quatro unidades.

Ele explica que na Casa I com 46 leitos,  a primeira a ser montada em 2006 e são decoradas para que seja uma extensão da casa do paciente, atende a área de oncologia, para que as pessoas que estão em recuperação de cirurgias não fiquem no leito do hospital, mas sim em local mais confortável. Como muitos não são de Botucatu,  não podem viajar para sua casa e voltar no dia seguinte para exames ou receber medicamentos.

Na Casa II ficam as crianças com câncer, assim como mulheres que necessitam tratamento para determinadas patologias e transplantadas. Também esta casa recebe mulheres acompanhantes de parentes que estejam internados no HC. 

A Casa de Apoio III  é voltada às mães que amamentam bebês prematuros. Elas permanecem na Casa e acompanham a recuperação dos filhos com idas periódicas ao hospital para amamentação. Durante o tempo em que permanecem na Casa, as mães, de diferentes faixas etárias, inclusive adolescentes,  recebem curso de artesanato.

Já a Casa IV tem duas finalidades específicas: recebe pacientes que necessitam de hemodiálise e abrigam  a  Associação Botucatuense de Assistência  ao Hipertenso;   Liga dos Rins e Hipertensão Arterial  e  o projeto de Inclusão Social e Digital para Adolescentes.   

“Então, tudo o que fazemos aqui tem o propósito único de melhorar e humanizar o atendimento às famílias que passam por problemas de saúde de alta complexidade e não têm como custear o tratamento”, frisa Alemão. “Antes de fazer parte do programa cada paciente ou acompanhante passa pela assistência social do HC que prioriza os casos mais delicados e nós recebemos para dar todo amparo que cada pessoa necessite”, complementa.