Carros e motocicletas aprendidos na Cidade vão a leilão

Nesta sexta-feira (30), a partir das 9 horas, a empresa Botucatu Parking Ltda, instalada na Avenida das Hortências, nº 1703, região do Parque Convívio, estará leiloando cerca de 400 veículos (entre motocicletas e carros), que foram apreendidos em blitz policiais ou tiveram envolvimento em acidentes. Esses veículos foram guinchados até o pátio e não foram reclamados pelos proprietários.

Porém, existe uma ressalva aos interessados na aquisição dos veículos que deve ser, rigorosamente, obedecida. Nenhum veículo que for a leilão poderá circular, já que não possui documento. A grande maioria deverá ser arrematada por empresas de desmanches para venda de peças avulsas usadas.

De acordo com o gerente Jeferson Savini, grande parte dos veículos apreendidos na Cidade, não é retirada pelos proprietários. Com isso, a lei permite que depois de um determinado tempo no pátio, esses veículos são leiloados, caso não haja interesse dos proprietários em recuperá-los. Com o dinheiro arrecadado são pagas as despesas do carro e o restante é devolvido ao proprietário.

“Quando o veículo é recolhido ao pátio é cobrada uma taxa diária. Quanto mais tempo levar para que o proprietário venha buscar o carro, mais a dívida aumenta. Também temos muitos casos em que os veículos chegam ao pátio com dívidas a pagar por irregularidades diversas, como documentação”, disse Savini.

Ele lembra que nesta quinta-feira (28) o pátio permanecerá aberto durante o dia inteiro (exceto no horário de almoço) para visitação pública. “Comparecendo ao pátio os interessados terão um parâmetro geral de todos os veículos que estarão sendo disponibilizados em leilão e poderão dar seus lances na sexta-feira e ficar com o veículo que lhe interessar. Mas, sempre é bom repetir que os carros leiloados não poderão circular pelas ruas”, coloca Savini.

Ele lembra que dos 400 veículos disponibilizados para o leilão, pelo menos 60% são motos. “Realmente, o número de motocicletas apreendidas e trazidas ao pátio é maior. Muitas delas são semi-novas e estariam em perfeitas condições de trafegar. Porém, a partir do momento em que vai a leilão o veículo fica impossibilitado de voltar a trafegar pelas ruas da Cidade. Só poderão ser aproveitadas as suas peças”, disse Savini. “Então, estamos convidando os interessados que venham conhecer o pátio e os veículos que estarão sendo disponibilizados no leilão”, acrescentou.