Campanha de Desarmamento Infantil e Cultura de Paz lançada no Municipal

Um grande público compareceu no Teatro Municipal Camillo Fernandez Dinucci na manhã desta quarta-feira (4) para prestigiar a cerimônia de lançamento da Campanha de Desarmamento Infantil, uma realização conjunta do Fundo Social de Solidariedade do Município e da Editora Abril.

No período de 5 de agosto a 6 de setembro, crianças com idade entre seis e doze anos poderão trocar qualquer arma de brinquedo por uma revista nos postos que funcionarão nas escolas municipais, estaduais e particulares e em bancas de jornais e revistas espalhadas por toda a cidade.

De acordo com os organizadores, o universo dos jogos violentos na formação das crianças tende a levá-las a banalizar a violência, transferindo esse tipo de comportamento para a vida adulta. O objetivo da Campanha é alimentar o sonho, o lúdico da brincadeira, tão importante para o crescimento saudável.

Como incentivo ? participação dos alunos na campanha, as duas escolas que mais arrecadarem serão premiadas com uma revisteca. Será contemplada a escola que conseguir a maior quantidade de armas de brinquedo em números absolutos e outra em números proporcionais.

A iniciativa conta com apoio da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Conseg (Conselho Municipal de Segurança), Conselho Tutelar, Polícia Militar, Guarda Civil Municipal e Secretaria Municipal de Educação e patrocínio do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) e da Cartonagem Union Box.

Emocionada, Elza Caetano do Nascimento, uma das coordenadoras da Campanha, destacou a união de forças em prol de uma causa que deve provocar uma reflexão na sociedade. “Só a união fortalece. Essa é uma iniciativa voltada ao bem estar das crianças. Peço a elas que conversem muito com seus professores, com seus pais e desejo um ótimo trabalho aos nossos educadores. Nosso trabalho começa aqui é espero que tenhamos sucesso”, declarou.

Leonardo Funchal, representante da Editora Abril, destacou a realização de 197 campanhas voltadas ao desarmamento infantil, pelos quatro cantos do Brasil, com a troca de mais de 694 mil armas de brinquedo. “É importante conscientizar as crianças. Revista traz informação, cultura e conhecimento para a formação de seu caráter. Botucatu tem tudo para realizar, mais uma vez, a maior e melhor campanha de desarmamento infantil do Brasil”, assinalou.

Para Francisco Antonio Toledo, representante da Editora Abril em Botucatu, a união dos parceiros é o diferencial para que a campanha possa repercutir em toda a Cidade. “Sem essa união nada disso seria possível e não teria sentido. O objetivo final é despertar a reflexão nas crianças e em seus familiares sobre a questão da violência”, comentou.

A presidente do Fundo Social de Solidariedade, Rachel Cury, enalteceu o trabalho da Editora Abril, que segundo ela, lançou uma semente que agora começa a ser levada para a sala de aula. “É bom saber que todos estamos juntos, falando a mesma linguagem. A Campanha de Desarmamento nos permite falar de algo ainda maior que é a Cultura de Paz e a questão da não violência nas escolas. Estão todos de parabéns”, afirmou.

A iniciativa também foi aplaudida pelo presidente da Câmara Municipal, vereador Reinaldinho. “Essa é uma campanha de extrema importância. O adulto, muitas vezes, é o grande responsável pela criança brincar com armas. Mas ainda é tempo da sociedade engajada mudar isso. Espero que essa campanha, daqui por diante, seja algo permanente”, disse.

Durante a cerimônia, a diretora do Colégio Liceu Anglo, Nádia Lúcia Paganini Burini e o aluno Giovani, em nome de todas as escolas, receberam de forma simbólica o kit da campanha de desarmamento infantil. E o aluno da EMEF “Dr. Cardoso de Almeida”, Gabriel Ribeiro, fez a primeira doação ? campanha, trocando uma pistola de brinquedo por uma revista da Editora Abril.

{n}Cultura de Paz{/n}

Junto com a Campanha de Desarmamento Infantil, a Secretaria Municipal de Educação lançou a Campanha de Cultura de Paz, voltada para as escolas da rede municipal de ensino e com convite extensivo ? s escolas estaduais e particulares. O público-alvo são alunos do primeiro ao nono anos do ensino fundamental. As ações também acontecerão no período de 5 de agosto a 6 de setembro.

Promover a Cultura da paz significa cultivar, para o hoje e o amanhã, valores e princípios que estimulem a convivência harmoniosa, partindo dos professores, funcionários, alunos e pais chegando a toda a comunidade.

Serão realizadas palestras e apresentadas informações aos alunos, país e ? comunidade para difusão da Cultura de Paz no município. A equipe de funcionários da Secretaria Municipal de Educação já foi treinada e professores e alunos receberão subsídios para que sejam multiplicadores da arte de saber conviver.

Para este ano foram escolhidas quatro ações, as quais foram tirados da apostila “Dez Passos de um Caminho Para Construção de Uma Cultura de Paz”, elaborada pela Psicóloga Paula Freire, aplicada a educadores e estudantes do ABC Paulista, que prestigiou a cerimônia desta quarta-feira.

“Ver a cidade aqui representada pelas crianças é um prazer grande e mostra que faz sentido estarmos reunidos para falar de mudança de comportamento. Essa iniciativa é fruto de uma grande parceria para iniciar uma mudança de mentalidade, deixando o descaso para dar atenção ao outro”, frisou Freire.

Segundo ela, Botucatu é uma cidade com disposição para ações inovadoras e esse projeto-piloto, que será desenvolvido nos próximos 35 dias, tem tudo para ser transformado em algo perene. “Com apoio grande da Secretaria Municipal de Educação e do Fundo Social de Solidariedade, poderemos investir em algo capaz de transformar”, acredita.

As ações, Aceitar o Diferente, Dialogar, Ser Justo e Cuidar serão os temas trabalhados e que envolvem conceitos de não violência. As escolas da rede municipal de ensino trabalharão os temas com ações interdisciplinares, envolvendo toda equipe escolar, alunos, pais, funcionários, professores e demais parceiros.

Os gestores escolherão entre alunos, funcionários e professores, oito “Agentes de Paz”. Dentre eles, seis serão alunos, um funcionário e um professor (critério de escolha ficará de responsabilidade da escola). Os Agentes de Paz serão identificados com camisetas personalizadas. A atribuição desses agentes será de criar ações que representem o conceito de “Paz” em todo o ambiente escolar.

O secretário municipal de Educação, Narcizo Minetto Júnior, enalteceu o arranjo montado para viabilizar as ações que disseminarão a cultura da não violência entre os alunos. “O que estamos vendo hoje aqui é de encher o coração. Estamos caminhando na direção certa. Fico feliz em saber que nossos parceiros acreditam que a solução dos nossos problemas passa pela educação. É preciso ficar claro que podemos brincar com outras coisas que não sejam armas”, destacou.

Magda Troncarelli, coordenadora da Campanha de Cultura de Paz, afirmou que ao difundir a não violência, a iniciativa vai trabalhar com a essência do ser humano. “Hoje no ensino fundamental municipal temos mais de sete mil alunos. Teremos a oportunidade de trabalhar com eles temas que envolvem a convivência social. O período será curto, mas é apenas o ponta-pé inicial de algo mais duradouro”, prevê.

O prefeito João Cury Neto também marcou presença na cerimônia e fez questão de parabenizar todos os parceiros envolvidos com as duas campanhas. O chefe do Executivo cumprimentou os representantes da Editora Abril, que segundo ele, tratam com sensibilidade um tema tão difícil como o desarmamento infantil e colocou a Prefeitura ? disposição para o desenvolvimento de outros projetos.

Segundo Cury, Botucatu vive um momento muito especial, já que a Cidade tem respondido ? s boas ideias e o Poder Público compreende que precisa ajudar a transformá-las em ações para melhorar a qualidade de vida das pessoas. “Hoje encontramos eco na sociedade. Desta forma os parceiros vão chegando. Há uma crença, uma convicção de que a Cidade está unida em torno da promoção da felicidade, da diminuição das desigualdades sociais. Este é o momento de sonharmos juntos”, declarou.

Na avaliação do prefeito, as crianças devem ser as grandes agentes de transformação. “A humanidade investiu muito em tecnologia nos últimos anos, mas a sensação de felicidade não está nessas ferramentas. Está dentro de nós e na relação com o outro. O grande desafio, nesse início de século, é a mudança de comportamento, entendo o outro e suas diferenças. E essas campanhas que lançamos no dia de hoje vão de encontro com a crença de nosso governo que valoriza o investimento no ser humano”, completou.

Ao final do evento, os presentes acompanharam uma apresentação teatral que tratou da cultura da não violência.

Fonte e fotos:
Secretaria de Comunicação