Campanha “Viva Verão 2015” é realizada em praça pública

 

Atividade tem o objetivo principal de prevenção, já que com o aumento das temperaturas, piscinas, rios e praias são destinos certos de muitos nestas férias escolares e os casos de afogamento, praticamente, dobram

 

A Defesa Civil do Município de Botucatu, com apoio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Corpo de Bombeiros e outras instituições da cidade realizou na manhã desta quarta-feira, na  Praça Comendador Emílio Peduti – Bosque,, região central da cidade, um bloqueio educativo como parte das atividades previstas na  campanha “Viva Verão 2015”, com distribuição de panfletos educativos.

Essa campanha tem o objetivo principal de prevenir casos de afogamentos.  Isso porque com o aumento das temperaturas, piscinas, rios e praias são destinos certos de muitos nestas férias escolares. Mas a água que refresca pode também representar um grande perigo: o afogamento. 

Durante a operação os socorristas do Samu e os bombeiros ilustraram a campanha com um simulado de salvamento a uma pessoa afogada.  Paralelo ao bloqueio em praça pública, outras atividades vêm sendo desenvolvidas como instalação de placas em pontos de maior risco como em cachoeiras da região e bairros como o Rio Bonito, Mina e Porto Said e nas escolas para alertar sobre os cuidados que as pessoas devem ter em piscinas.

“A maioria dos casos de afogamento acontecem em represas e cachoeiras do município, com vítimas jovens em situação de lazer e que normalmente não seguem as normas de segurança estabelecidas e acabam excedendo os limites permitidos. O uso de álcool é um dos fatores de risco mais importantes na epidemiologia do afogamento”, informa a coordenadora do Samu Botucatu, enfermeira Priscila M. Vieira de Almeida.

No lançamento da campanha o coordenador da Defesa Civil, Paulo Renato da Silva,  destacou que no verão, os casos de afogamento em todo o País praticamente dobram. “O programa visa mostrar para as pessoas os riscos do afogamento, ajudando-as a prevenir sobre qualquer situação perigosa”, argumentou, lembrando que os telefones para emergência são: 199 (Defesa Civil); 192 (Samu); e  193 (Corpo de Bombeiros).