Caio diminuirá sua jornada de trabalho e salário

O Sindicado dos Metalúrgicos da região de Botucatu intermediou nesta quarta-feira uma proposta feita pela empresa Caio/Induscar, que fabrica carrocerias de ônibus urbano, de diminuição da jornada de trabalho e salários, em razão da crise financeira que assola o pais desde o início do ano e que já causou muitas demissões nos últimos meses.

 

Empresa  propôs a redução em 20% da jornada de trabalho (um dia a menos por semana, sexta-feira) e de salário, para todos os setores (administrativos e fabris) e todos os níveis hierárquicos, por  um período de 90 dias, prorrogáveis por mais 90,  sendo reavaliada à medida que houver maior volume de vendas e de disponibilidade de chassis.

“Eleição” teve início às 9 horas e se estendeu até as 20 horas, com a fiscalização do sindicato e representantes da empresa. Os números não deixam dúvidas quanto a preferência dos trabalhadores: 2.184 foram favoráveis à  proposta da empresa e 435 se posicionaram contra. Outros 11 anularam o voto.  Com a aprovação, a medida entra em vigor no próximo dia 17 de julho.

O diretor da empresa, Maurício Lourenço da Cunha, explicou que o quadro ficou estruturado para a fabricação de 21 carrocerias/dia ou 105 unidades por semana. Atualmente a fábrica está no patamar de 80 carrocerias por semana.

 Para diminuir o impacto dessa redução a empresa fará o adiantamento da primeira parcela do 13º salário, em três vezes, para todos que tem direito. Também garante benefícios como Unimed para toda a família, alimentação, transporte, dentista, fisioterapeuta na empresa e outros programas.

“É mais prudente reduzir o salário em 20% do que ficar sem emprego e sem os benefícios, principalmente num momento complicado da economia, quase sem oferta de empregos. Acredito que essa foi a decisão correta tomada pelos funcionários para superar essa fase”, avaliou o presidente do sindicato, Miguel Ferreira da Silva.