Búfalos em Botucatu supera expectativa de peso

Mesmo enfrentando um período de grande estiagem, o rebanho de novilhos bubalinos da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da Unesp, câmpus de Botucatu, apresentou desempenho que ultrapassou as expectativas, diante das condições climáticas adversas do período.

O rebanho da FMVZ é composto de 20 animais da raça Murrah (foto), pertencentes a Área de Ensino, Pesquisa e Extensão (AEPE), coordenada pelo professor André Mendes Jorge, do Departamento de Produção Animal.

Os animais, criados na Fazenda Experimental Edgárdia, estão em sistema de lotação rotativa de pastejo composto por 19 piquetes de capim  da espécie Xaraés, recebendo somente sal mineral como suplementação. No último mês, os animais apresentaram ganho médio de peso diário de 0,70 kg, apesar de toda a seca enfrentada.

Segundo o professor Jorge, o feito é resultado do trabalho de equipe realizado pelo Grupo de Pesquisa em Búfalos, aliado às características produtivas dos animais. “Nosso grupo é formado por pessoal de apoio, zootecnistas, mestres, doutores e pós-doutores, atuando nas mais diversas áreas dentro da produção de ruminantes”.

 O professor Jorge destaca o apoio dos auxiliares Amarildo dos Santos Vieira (Liu) e Wilson Bueno de Oliveira (Lipe), dos Zootecnistas Daiane Marques, do doutorando Michel Castilhos e da pós-doutoranda Caroline Francisco, além de graduandos dos cursos de Agronomia, Medicina Veterinária e Zootecnia que fizeram estágio no setor.

“O manejo da pastagem que incluiu a formação, adubação, controle da taxa de lotação e pastagem, garantiu a produção da forragem em quantidade e qualidade, proporcionando condições satisfatórias ao ganho. Apesar do clima desfavorável, pela falta de chuva, a forragem continua a crescer em ritmo lento, com menor massa, mas ainda com boa qualidade”, salienta o Michel Castilhos.

Caroline Francisco ressalta a importância do bom manejo e bem-estar dos animais: “A preocupação em oferecer acesso fácil à água e sombra aos animais, além do cuidado e respeito sempre que o manejo se fez necessário, contribuíram para esse excelente resultado. Além disso, não é possível atingir resultados dessa magnitude se o trabalho não for realizado em equipe, onde cada um assume responsabilidades dentro da sua competência, porém, com troca mútua de conhecimento. Todos aprendem, todos ganham”.

Nas últimas duas semanas, o rebanho passou por dois manejos importantes. O primeiro foi destinado ao diagnóstico de prenhez do rebanho de matrizes e realizado pelo professor João Carlos Pinheiro Ferreira, do Departamento de Reprodução Animal e Radiologia Veterinária da FMVZ, por meio de exames de palpação e ultrassonográfico, onde constatou-se que a totalidade dos animais estavam prenhes.

O segundo manejo, de ordem sanitária, foi o teste de tuberculose realizado pelo professor Márcio Ribeiro Garcia, do Departamento de Higiene Veterinária e Saúde Pública da FMVZ, que atestou que a totalidade do rebanho está livre da doença.

“São resultados e parcerias como essas que priorizamos e almejamos, apesar de todas as dificuldades e situações adversas enfrentadas em qualquer tipo de produção. Estamos tentando retribuir em parte o investimento realizado pela sociedade”, finaliza o professor Jorge.