Botucatuense Hernani Donato morre aos 90 anos de idade

Botucatu está de luto! Na manhã desta quinta-feira (22), faleceu no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, aos 90 anos de idade, o botucatuense Hernani Donato, ilustre e renomado escritor, historiador, jornalista, professor, tradutor e roteirista brasileiro. Ocupava a cadeira nº 1 da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras e a cadeira nº 20 da Academia Paulista de Letras.

Donato nasceu em Botucatu em 12 de outubro de 1922 e aos 11 anos iniciou-se na literatura escrevendo (a quatro mãos com Francisco Marins) o romance infantil “O Tesouro”, publicada em capítulos no suplemento literário de um jornal dos Diários Associados. Estudou dramaturgia (na Escola de Arte Dramática) e sociologia, curso que abandonou para se aventurar em uma expedição que desbravaria uma antiga trilha indígena até o Paraguai, chamada de Caminho do Peabiru.

Foi presidente, em duas gestões sucessivas, do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo. Foi membro da Academia Paulista de História, sócio-correspondente do Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Sorocaba e do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais. Colaborou com várias revistas — entre elas, a Veja — e jornais, e atuou na TV Tupi, TV Record, Nacional (antecessora da TV Globo). Foi funcionário público municipal e federal. Participou da comissão organizadora dos festejos do IV Centenário da cidade de São Paulo (1954) e de outros programas culturais.

Donato deixa uma extensa folha de serviços prestados ao Brasil com uma infinidade de obras literárias que irão se perpetuar. Uma de suas obras mais conhecidas foi o livro “Achegas para a História de Botucatu”, a mais completa e rica obra sobre a origem de Botucatu, é fonte de informações para pessoas de diferentes segmentos sociais e idades e fundamental em todas as bibliotecas.

{tam:25px}{n}Obras principais{/tam}

Infantis{/n}
Histórias da Floresta
Apuros do Macaco Pium
Façanhas do João Sabido
Novas Travessuras de Pedro Malasartes
Histórias dos Meninos Índios

{n}Juvenis{/n}
O Tesouro, em folhetim
A Maravilhosa História dos Presentes de Natal
A Maravilhosa História do Presépio de Natal
A Palavra Escrita e Sua História
História do Calendário
A Longa História dos Transportes

{n}Biografias{/n}
Raposo Tavares, o Vencedor dos Andes
Vital Brasil, o Domador de Serpentes
José de Alencar
Plácido de Castro
Casimiro de Abreu
Vicente de Carvalho
“Schliemann, Desenterrador de Cidades” (para o livro Os descobridores)
Manzoni
Cervantes, para o livro Os Escritores
Galileu Galilei

{n}Contos{/n}
Contos Muito Humanos
Grandes Amores da História e da Lenda
Babel

{n}Romances{/n}
Filhos do Destino
Chão Bruto (adaptado para o cinema em 1958 e 1976, ambas dirigidas por Dionísio Azevedo)
Selva Trágica (adaptado para o cinema)
O Rio do Tempo – romance do Aleijadinho
Núpcias com a Morte (publicado no jornal Última Hora)

{n}Ensaios{/n}
“Darwin e seu A Origem das Espécies” e “Einstein e sua Teoria da Relatividade”, ambos na obra Os Livros que Abalaram o Mundo

{n}Roteiros cinematográficos{/n}
O Caçador de Esmeraldas (1979), de Oswaldo de Oliveira (cineasta)
Chão Bruto (1958), de Dionísio Azevedo
Os Irmãos Leme
José do Patrocínio

{n}História{/n}
Achegas para a História de Botucatu
Peabiru
Paulistas nas Guerras do Sul
Provérbios Rurais Paulistas
Dicionário das Batalhas Brasileiras
A Revolução de 1932

{n}Traduções principais{/n}
A Divina Comédia, de Dante Alighieri (integralmente, anotada, em prosa moderna);
Delito no Campo de Tênis, de Alberto Moravia

{n}Prêmios {/n}
Prêmio Afonso Arinos da ABL
1977 – Babel
Prêmio Joaquim Nabuco da ABL
1988 – Dicionário das Batalhas Brasileiras
Prêmio Saci do jornal O Estado de S. Paulo
Roteiro para o filme “Chão Bruto” (co-autoria)
Prêmio Governador do Estado de São Paulo
Chão Bruto – roteiro (co-autoria)
Prêmio Câmara Municipal de São Paulo
1955 – pelos diálogos do filme Se a Cidade Contasse
Prêmio Prefeitura Municipal de São Paulo
A Batalha do Alumínio – roteiro (co-autoria)
Prêmio Clio da Academia Paulistana de História
1983 – Dicionário das Batalhas Brasileiras
1983 – A Revolução de 1932
Prêmio Fernando Chinaglia da União Brasileira de Escritores
1979
Prêmio Especial da Associação Paulista de Críticos de Arte
1987 – Dicionário das Batalhas Brasileiras