Botucatuense está no Rio em busca da filha desaparecida

O botucatuense Maurílio de Andrade Batista deixou o trabalho de lado e viajou para o Rio de Janeiro com um só objetivo: encontrar a filha, a estudante paulista Daniela Barbosa Batista, de 23 anos. A jovem está desaparecida desde domingo  quando foi vista no Largo da Carioca, no Centro do Rio, desorientada.

 Batista disse que só retomará sua vida depois que Daniela for encontrada. “Só vou embora com a minha filha. Não quero pensar em mais nada. Toda a minha energia, todo o meu pensamento, estão com a Daniela”, afirmou ele.

Na manhã desta terça-feira, Maurílio e amigos da estudante fizeram uma panfletagem na Lagoa, Zona Sul do Rio. Eles distribuem cópias do cartaz com a foto de Daniele. Nas redes sociais a mobilização por notícias da jovem também é grande: são centenas de compartilhamentos do cartaz e de uma foto dela com a hashtag #todospelaDani.

“Minha filha é uma menina muito caseira e tímida. Nunca teve histórico de doença psiquiátrica, nunca houve nada disso. Nós nos falávamos sempre, dia sim, dia não. O tempo maior que fiquei sem fazer contato com ela foi este último fim de semana”,  contou Maurílio.

Nesta segunda, ele esteve na Catedral Metropolitana do Rio, onde Daniela esteve acompanhada com uma mulher, no domingo. A desconhecida pediu para deixar a jovem na igreja, mas uma pessoa alegou que o local estava fechando e que as duas deveriam sair. A mulher, então, foi até um orelhão e ligou para a casa de Maurílio.

“Ela contou que havia encontrado a Daniela desorientada. Na hora, fiquei desnorteado. Essa moça me falou o nome dela, mas não lembro. Disse que mora em Jacarepaguá e falou que levaria minha filha para casa com ela. Eu, na hora, pedi que ela a levasse até a rodoviária, pois seguiria imediatamente para o Rio. Queria muito que essa mulher me procurasse novamente”,  disse ele.

Daniela deixou o hotel em Botafogo, na Zona Sul do Rio, onde mora desde o início do ano com um amigo, para ir a um festival de dança africana na Rua do Lavradio, na Lapa, região central da cidade, no sábado. Amiga dela, Núbia de Almeida Sousa, de 25 anos, conseguiu acessar o perfil de Daniela no Facebook e viu que a jovem havia confirmado presença no evento. Ela também descobriu que a última postagem da estudante foi às 23 horas de sábado.

A jovem veio para o Rio para fazer pós-graduação em Farmácia na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Ela já foi jogadora de basquete e, por isso, está acostumada a viver longe da família. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA), que informou já ter ouvido os depoimentos de parentes e amigos da jovem.