Botucatuense dá show de mágica no “Domingão do Faustão”

Robson Roberto Bianconi Quaiatte, ou, simplesmente, Mágico Bianconi foi a grande estrela do quadro “Se vira nos 30”, do programa Domingão do Faustão no início da noite deste domingo (11) da Rede Globo de Televisão, um dos programas com os maiores índices de audiência do Brasil. Além de mostrar seu trabalho, Bianconi faturou o prêmio de R$ 20 mil, competindo com vários artistas que apresentaram diferentes números no palco. “Este é um dos melhores ”Se vira nos 30” da história”, afirmou o apresentador Fausto Silva.

Para ganhar a preferência do público e levar o prêmio máximo do programa, Bianconi, nos seus 30 segundos de apresentação, fez cinco mágicas diferentes com pombos, pato, baralho, sombrinha e lenços coloridos. Após a apresentação de Bianconi o apresentador soltou o seu famoso jargão: “Ô lôco, meu!”.

Bianconi é considerado um dos melhores artistas do gênero do Brasil e já se apresentou em diferentes cidades brasileiras, além de ser reconhecido internacionalmente. É um dos poucos profissionais a receber uma homenagem pública de Silvio Santos, quando participou do Concurso de Mágicos, promovido pelo SBT, em 2012. “Foi um dos melhores números de mágica que presenciei”, disse Silvio Santos, na ocasião.

Filho de Hosana Aparecida Bianconi e João Quaiatte, ele nasceu em Botucatu em 27 de novembro de 1985 e desde pequeno adorava mágica, mas seu sonho inicial era ser jogador de futebol. “Tinha muita habilidade com os pés e jogava muita bola, até que aos 12 anos passei a me dedicar a arte mágica. Comecei a freqüentar cursos, congressos e a conhecer mágicos de todo a pais e não desisti do meu sonho. Este ano completo 15 anos de carreira”, conta o mágico.

Um dos seus maiores inspiradores foi o ilusionista americano Mister M, que revelava truques de mágicas pela televisão. “Passei acompanhar os programas e a treinar os truques ensinados por ele. Logo percebi que tinha muita facilidade em executar (os truques). Foi aí que resolvi a abandonar a idéia de ser jogador de futebol para ser um mágico profissional”, coloca.

Enfoca que seus primeiros truques apresentados em público eram feitos com moedas, cartas de baralho e o mais interessante de todos era fazer desaparecer das mãos uma caneta emprestada do próprio publico. “Era impressionante a reação das pessoas”, coloca, lembrando que é não é fácil sobreviver com a mágica. “A arte mágica é muito desvalorizada em nosso país e são poucos os brasileiros que sobrevivem da mágica e o repertório tem que ser variado e renovado, sempre. Em média, por apresentação, desenvolvo 20 truques de mágica com duração de 50 minutos, que é o tempo total da apresentação”, diz.

Revela que os números mais complicados são os de manipulação, normalmente, apresentados em um palco, onde o mágico demonstra toda a sua habilidade, como esta no Domingão do Faustão, quando transformou bengala em um lenço, um baralho em pombos e lenços em pato usando apenas o recurso das mãos. “A manipulação é a especialidade mais difícil da arte mágica”, segreda, deixando o seu e-mail para contato: www.magicobianconi.com.br

http://tvg.globo.com/domingao-do-faustao/videos/t/programa/v/magico-robson-bianconi-e-o-vencedor-do-se-vira-nos-30/1852077/