Botucatuense atua em missão no continente africano

A enfermeira botucatuense Denise Cristina dos Santos, está desenvolvendo um trabalho em Angola, na África, a convite da Organização Mundial da Saúde (OMS) e faz parte de um grupo que foi selecionado para atuar junto aos Governos de países africanos com o objetivo de erradicar a poliomielite e eliminar o Sarampo, bem como prestar auxilio a outros temas que envolvem a saúde coletiva.

Denise Santos que é especialista em Saúde Publica e Saúde Mental, atua como consultora para duas Províncias (Estados). Também está estudando uma doença chamada ebola, que já causou muitas mortes no continente africano.  Ela trabalha no Hospital Psiquiátrico “Cantídio de Moura Campos”.

Neste final de semana ela esteve na Republica Democrática do Congo, repactuando a vacinação das crianças de 0 a menores de 10 anos, pois os países africanos estão em plena campanha de vacinação (poliomelite e sarampo).  “Aproveitei para discutir sobre a forma de transmissão da ebola e a importância de mantermos a vigilância ativa”, disse a enfermeira botucatuense que trabalha na sede em   Lunda Norte e Lunda Sul, duas províncias de Angola.

 

Ebola

A infecção pelo vírus ebola causa uma febre hemorrágica, uma das doenças virais mais perigosas, frequentemente fatal, com índice de mortalidade de 50 a 90% dos casos. A Febre Hemorrágica Ebola – FHE, é uma doença infecciosa grave. O vírus ebola, considerado por muitos, o vírus mais perigoso que a humanidade conhece, é um filovírus de forma filamentosa que não possui classificação.

É transmitido pelo contato direto com o sangue ou secreções de pessoas portadoras do vírus. Pelo sêmen a transmissão pode ocorrer até sete semanas após a recuperação clínica da doença.  Nunca houve casos da doença em humanos fora do continente africano.