Botucatu tem baixo índice de mortalidade infantil

A atenção ? rede básica de Saúde aplicada em Botucatu deixa a Cidade em excelente índice comprovado pela Fundação Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados). O último levantamento aponta que dos 645 municípios paulistas, 322 apresentaram, em 2011, índice de mortalidade infantil inferior a dois dígitos, comparável a países desenvolvidos, o que é preconizado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) como principal indicador da saúde pública.

Dentro deste seleto grupo de cidades com baixo índice de mortalidade infantil está Botucatu, com 8,7 óbitos de crianças menores de um ano de idade a cada 1 mil nascidas vivas. O resultado é um dos melhores da DIR-Bauru, que compreende 68 municípios e terminou 2011 com 11,30 óbitos para cada mil nascidos vivos.

O índice está totalmente relacionado ? melhor condição de vida da população em outras áreas, como emprego, saneamento, habitação e educação, mas principalmente aos grandes investimentos feitos pelo Poder Público na saúde do Município nos últimos três anos.

Em 2005, segundo dados do próprio Seade, Botucatu chegou a registrar índice de mortalidade infantil de 7,6, mas nos três anos seguintes os números cresceram chegando em 2008 a 14,5 óbitos a cada mil nascimentos de crianças até um ano.

A partir de 2009 a porcentagem de investimento na saúde saltou para 17,3% e dobrou em 2011 para 26,3%, totalizando mais de R$ 46,8 milhões de despesas com a saúde em Botucatu no ano passado, ou seja, mais do que o dobro aplicado em 2008.

“Abrimos quatro novas unidades de saúde e temos mais duas para entregar. Dobramos o quadro de profissionais, principalmente de médicos e enfermeiros nos postos. Instalamos o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), que inclusive possui uma incubadora neonatal para situações de risco da gestante e seu filho. Mas o importante é o planejamento e organização feita na estrutura da saúde de Botucatu, que foi reconhecida pelo Governo Federal como uma das cinco cidades com um dos melhores serviços de saúde do País, o que nos orgulha demais e ao mesmo tempo nos desafia a continuar a manter esse nível de excelência”, avalia a secretária Municipal de Saúde, Tania de Cacia Gasparelo.

{n}Clínica do Bebê {/n}

Esse planejamento e organização que diretamente influenciam nos números da mortalidade infantil podem ser comprovados em novos projetos e ações da Prefeitura de Botucatu como a Clínica do Bebê, inaugurada em julho deste ano. Instalada dentro do Espaço Saúde “Professora Cecília Magaldi”, ela traz para o Município um serviço pioneiro voltado para os cuidados da primeira infância e de atendimento multidisciplinar, onde todas as crianças de Botucatu durante a primeira semana de vida irão passar por avaliação precoce de riscos e diagnósticos.

O local conta com recepção, três consultórios, cantinho de amamentação, sala de procedimentos, sala de estar e trocador. O objetivo é auxiliar na diminuição da mortalidade infantil na Cidade, estimular o aleitamento materno exclusivo, e rastrear o acompanhamento do recém-nascido de risco. Todas as crianças que são atendidas pela equipe da Clínica do Bebê também são encaminhadas para uma assistente social e em caso de não terem condições financeiras receberão além dos cuidados, um enxoval básico para criança.

Ana Lúcia Forti Luque, coordenadora da Atenção Básica da Saúde Municipal, foi quem idealizou o projeto da Clínica do Bebê em Botucatu e afirma que ações como essa são fundamentais para que os índices de mortalidade infantil continuem baixos. O trabalho, segundo ela, é constante junto ? s gestantes, que ao lado das crianças e idosos são prioridade no atendimento público.

“A atenção passa desde o pré-natal bem feito e o diagnóstico precoce das gestantes de risco, como as que têm diabetes e hipertensão, passando pela busca ativa de gestantes faltosas para o monitoramento e acompanhamento da gravidez e assistência ao parto, chegando ao pós-parto, que inclui as campanhas de vacina, de aleitamento materno e todos os exames necessários para a criança nos primeiros meses de vida. Mantendo e ampliando esse trabalho, com a ajuda da Clínica do Bebê, com certeza os índices de mortalidade infantil em Botucatu continuarão a ser padrão de primeiro mundo”, afirma.

Da Assessoria