Botucatu recebe exposição sobre Hiroshima e Nagasaki

A Prefeitura de Botucatu, em parceria com a Associação Paulista de Medicina (APM), realizam entre os dias 2 a 31 de agosto a Exposição Hiroshima e Nagasaki (1945-2011). A Mostra conta com 30 pôsteres, imagens, textos informativos sobre os lançamentos das bombas atômicas, após o fim da Segunda Guerra Mundial, ocorrido há 65 anos.

A Mostra intitulada “Um agosto para nunca esquecer” poderá ser visitada na própria sede da APM na Regional de Botucatu localizada na Rua João Passos, 326, no Centro, de segunda a sexta-feira, das 7h30 ? s 21 horas e aos sábados, domingos e feriados, das 9 ? s 16 horas, com entrada franca.

Durante a exposição os visitantes também podem participar da ‘ação educativa’ que traz sessões de filmes vindos do Japão, com a apresentação histórica e produção de pássaros de origens “tsurus”. A organização da exposição orienta as escolas a realizar um agendamento para participar da ação pelo telefone (14) 3882-1442 ou pelo email apmbotucatu@gmail.com.

Todo o material veio do Japão, por intermédio da Associação Médica de Hiroshima, e ficará no Brasil por dois anos, sendo exposto em diferentes cidades. Para Milton Massato Hida, um dos colaboradores do evento, “o intuito, além de relembrar as conseqüências da tragédia, é homenagear os sobreviventes que moram no Brasil, incentivar a abolição das armas nucleares e celebrar a paz”.

A mostra serve como apelo para a realização de um mundo de paz. “Esta é uma forma de orientar a sociedade civil, em especial os jovens, sobre o horror da bomba atômica, que não se resume só ao impacto da explosão e energia térmica. Até hoje há pessoas desenvolvendo doenças por causa dos efeitos tardios”, disse Hida. “O Japão é o único país que sofreu com a bomba”, complementa.

{n}Bombardeios{/n}

O lançamento das bombas atômicas nas cidades de Hiroshima e Nagasaki ocorreu no final da Segunda Guerra Mundial, em 6 e 9 de agosto de 1945, respectivamente. Estima-se que cerca de 220 mil pessoas foram mortas nos ataques, e outros milhares sofreram graves sequelas pela exposição ? radiação.

A tragédia guardou histórias simbólicas como a da menina Sadako Sasaki, que será retratada na exposição. Personagem da luta pela paz, ela tinha dois anos de idade na época do ataque. Devido ? radiação teve leucemia, e após compreender que a doença fora causada pela guerra, passou a dobrar origamis de Tsuru (pássaro da paz) em manifestações públicas por sua saúde e pela paz.

Um dos últimos Tsurus feitos por Sadako será entregue na cerimônia de abertura ? Associação Hibakusha Brasil pela Paz, instituição que reúne vítimas da bomba atômica.

Segundo o curador da exposição Dr. Ruy Tanigawa, secretário-geral da Associação Paulista de Medicina, a mostra busca exibir as consequências da arma nuclear, mostrando para o público seus efeitos impactantes no Japão e no mundo, e a importância em relação ? paz.