Botucatu concorre a premio no estado por projeto a deficientes

Para a secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella, o prêmio tem o intuito de potencializar a questão da inclusão

 

A quinta edição do Prêmio Ações Inclusivas para Pessoas com Deficiência recebeu mais de 150 projetos de todo o Estado. Entre as ações inclusivas, representando o município de Botucatu, estão os projetos “Feira-Livre”, do Centro de Integração e Educação Especial para Jovens e Adultos e “Estágio de Pessoas com Deficiência”, da Faculdade de Medicina de Botucatu (Unesp).

Já o município de Itapetininga, participará da premiação com o projeto “Inclusão, tarda mas não falha”, da EE Professor Juvenal Paiva Pereira. O município de Mairinque será representado pela ONG Impacto Cultural e Artístico com o projeto “Por um mundo melhor”

Realizada pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, a premiação tem o objetivo de estimular a implantação de iniciativas inclusivas, além de identificar e reconhecer as já existentes. As 10 melhores práticas inclusivas serão premiadas em uma cerimônia que acontece em dezembro na capital paulista.

Puderam se inscrever para o Prêmio, representantes da gestão pública e de instituições não governamentais sem fins lucrativos. Segundo os critérios estabelecidos no regulamento do prêmio, serão selecionadas 10 ações finalistas que receberão Certificado de Participação. O Brasil tem hoje cerca de 45 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência. Somente no Estado de São Paulo, esse número ultrapassa 9 milhões.

Para a secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella (foto), o prêmio tem o intuito de potencializar a questão da inclusão. “As políticas de inclusão devem ser reconhecidas e incentivadas. Em todo o Estado, os municípios vêm promovendo importantes progressos relativos às pessoas com deficiência. O Prêmio é um instrumento para difundir e multiplicar esses trabalhos tão importantes”, afirma a secretária.