Baixas temperaturas com geada trazem prejuízos a Botucatu

geada-lencois-pta
Na Fazenda Progresso, em Lençóis Paulista, a temperatura chegou a zero grau com o gelo cobrindo os campos durante a madrugada – Foto: Fernando  Darciel

A gradativa queda na temperatura, que fez com que geasse neste final de semana em alguns municípios da região, modificou paisagens e trouxe prejuízos a produtores rurais de Botucatu. Em algumas propriedades, plantações inteiras de hortaliças foram perdidas, resultando em prejuízos de mais de R$ 100 mil. Outras culturas, como berinjela, feijão, tomate e figo, também sentiram os efeitos do frio intenso, que deve continuar nesta terça-feira (14).

O engenheiro agrônomo Marcelo Leonardo, da Casa da Agricultura de Botucatu, conta que as temperaturas começaram a despencar na última quinta-feira (9), mas as geadas mais intensas foram registradas na madrugada de domingo. Uma das regiões mais atingidas, segundo ele, foi o bairro Chaparral, onde cerca de dez produtores perderam toda a produção de hortaliças. “Teve também perda de feijão e milho”, diz.

De acordo com o engenheiro, em uma das propriedades, 3 mil pés de alface foram danificados, um prejuízo estimado em mais de R$ 100 mil. Em outra, onde há o cultivo de berinjela, dezenas de mudas foram queimadas, deixando um prejuízo médio de R$ 20 mil. Uma terceira propriedade perdeu 330 mudas de figo. “Vai ter que cortar para vir a nova brotação”, explica. “É no mínimo um ano de espera a mais”.

Leonardo revela que outro produtor rural viu a geada comprometer área de quatro alqueires de plantação de feijão, o que representa um prejuízo médio de mais de R$ 100 mil. Outra região que sentiu os efeitos das geadas, segundo ele, foi o bairro Faxinal, onde foram afetadas plantações de hortaliças e tomate. “Geralmente, no início do inverno e no final do outono, esses eventos de geadas são normais”, afirma.

Prevenção

O engenheiro lembra que, há pouco mais de uma semana, produtores da Colônia Santa Marina, que também fica na zona rural da cidade, sofreram com chuva de granizo que destruiu cerca de 20% das lavouras, sobretudo de feijão. Segundo ele, para minimizar os efeitos de uma geada na plantação, os produtores podem recorrer a alguma técnicas.

“Quando congela a célula, ela expande e quebra a parede celular, levando a célula à morte. Uma das recomendações é molhar as plantas por volta das 4h porque daí ocorre o congelamento da água superficial da folha, como se fosse um iglu, o que mantém a planta a zero grau. A água interna da planta não congela”, explica. “E também fazer buracos no solo, colocar serragem com óleo e salitre e deixar queimando. Isso emite calor”.

Em Gália até uma cobra ficou congelada

cobra-congelaEm Gália (70 quilômetros de Bauru), a forte geada registrada durante a madrugada e início da manhã dessa segunda-feira (13) fez com que uma cobra congelasse.

O flagrante do réptil encoberto por uma camada de gelo em meio a lavoura na zona rural foi feito pelo repórter Eduardo Meira, do 4Notícias, por volta das 7h. Quem passou pela rodovia que liga Gália a Marília também se deparou com pasto coberto por uma fina camada de gelo.

De acordo com o relato de moradores, a temperatura na cidade chegou a 0,5 grau às 6h51. O frio mais intenso foi sentido na área rural do município.

Mais frio

Segundo o meteorologista André Mendonça de Decco, do IPMet de Bauru, a previsão para esta terça-feira é de mais frio. Nessa segunda-feira (13), a temperatura em Bauru chegou a 4,4 graus. Até então, a temperatura mais baixa havia sido registrada em agosto de 2013 (4,3 graus). “A mínima deve ficar na casa dos 6 a 7 graus pela manhã e, a máxima, em torno de 20 graus. A partir de quarta-feira (15), a gente tem gradativa elevação na temperatura. O friozinho ainda continua, mas não nesses extremos que estão ocorrendo”, anuncia.

Baixas temperaturas

Apesar de o Centro de Meteorologia de Bauru (IPMet) não disponibilizar dados individualizados sobre todas as cidades, moradores da região entraram em contato com o JC para relatar as baixas temperaturas da madrugada. Em Lençóis Paulista, às 4h, a temperatura chegou a zero grau. Na zona rural, em alguns locais, formou-se camada de gelo com cerca de três centímetros. Em Botucatu, a mínima atingiu 2 graus. Em Duartina, pela manhã, o gelo também encobriu gramado às margens da rodovia Lourenço Lozano.

(Fonte: JCNet)