Antigas subestações ferroviárias estão desaparecendo da região

Antes com vida cotidiana intensa as subestações da antiga Estrada de Ferro Sorocabana (EFS), depois Ferrovia Paulista Sociedade Anônima (Fepasa), que eram verdadeiras vilas com dezenas da casas onde residiam os ferroviários, estão desaparecendo. Gradativamente, o patrimônio e a história de uma das mais importantes malhas ferroviárias do Brasil estão sendo consumidas pelas intempéries do tempo.

Só para se ter uma idéia da importância dessa malha ferroviária na região, basta dizer que de Botucatu a Cidade de Juquiratiba (primeira cidade entre Botucatu a São Paulo) o trem de passageiros passava pelas subestações de Belveder, Apuãs, Bento Ferraz, Engenheiro Romualdo, Cesar Neto, Engenheiro Calixto e Pirambóia. Hoje daquelas estações, restam apenas escombros.

O cenário é desolador e quem vai a esses locais não pode deixar de ficar entristecido observando a situação degradante em que chegou o patrimônio ferroviário. É por esta mesma estrada por onde circulavam trens transportando milhares de passageiros e cargas, diuturnamente.

A Estrada de Ferro Sorocabana (EFS) foi fundada em 1872 a partir de então foi o meio de transporte que alavancou o desenvolvimento de São Paulo, depois passou a se chamar Ferrovia Bandeirantes (Ferroban), sucessora da Ferrovia Paulista Sociedade Anônima (Fepasa). Hoje a estrada ferroviária é usada pela empresa América Latina Logística (ALL) apenas para transporte de carga.

Botucatu foi o principal eixo ferroviário da linha da Fepasa, entre São Paulo. O pátio de manobras, o armazém, a estação ferroviária e tantos outros prédios que faziam parte do cotidiano dos ferroviários, não existem mais. Se vê hoje, diversos vagões de passageiros ou de carga, sendo deteriorados pelo tempo, fazendo parte de um funesto e degradante visual, parecendo um monte de entulhos de ferros retorcidos.

Não bastasse isso, tudo que havia nas dezenas de salas, foram delapidados e agora alguns poucos pontos que ainda estão em pé ou os velhos vagões que ainda estão nos trilhos rodeados de matos, são usados como casa de andarilhos, ou para pratica de sexo e consumos de drogas.

Fotos: Divulgação