Agropecuário foi o setor que mais empregou em Botucatu

O número de contratações com carteira assinada bateu recorde no primeiro semestre em Botucatu. As informações são do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) com base no Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). De janeiro a junho de 2013 foram 10.956 contratações contra 8.681 desligamentos, resultando em um saldo líquido de 2.275 vagas criadas. Foi o melhor resultado do município desde que o levantamento foi iniciado, em 2007.

Se comparado ao mesmo período do ano passado, o crescimento foi praticamente dez vezes maior, segundo o Caged. Na ocasião, o saldo das contratações foi de 251 vagas. Depois de apresentar números negativos nos dois primeiros meses de 2013, a partir de março a economia local passou a reagir e acumular desempenhos positivos, com as admissões superando o número de demissões de forma vigorosa. Em março o saldo foi de 431 vagas, em abril 376, em maio 1.081 e em junho 584.

As 10.956 contratações se dividem em primeiro emprego (2.407), reemprego (8.288), contrato de trabalho por prazo determinado (256) e reintegrações (5). Já os 8.681 desligamentos são divididos em dispensa sem justa causa (4.141), dispensa com justa causa (89), a pedido (3.024), término de contrato (1.079), aposentadoria (5), morte (20) e término de contrato com prazo determinado (323).

O setor que mais gerou oportunidades no primeiro semestre deste ano foi a agropecuária com saldo de 1.507 vagas. Só para a função de trabalhador no cultivo de árvores frutíferas foram criadas 1.398 vagas. Em segundo lugar veio a indústria com a criação de 438 novos postos de trabalho. Para a área de preparador de estruturas metálicas foram geradas 153 vagas no período. O setor de serviços também teve desempenho positivo com 359 postos de trabalho. Já o comércio admitiu 2.541 pessoas e demitiu 2.533 resultando em um saldo de oito vagas no semestre. Apenas a construção civil teve desempenho negativo ao admitir 440 trabalhadores e dispensar 477.

{n}Esforço{/n}

O recorde na geração de empregos no primeiro semestre deste ano é resultado do bom momento vivido pela economia local, combinado ao esforço do poder público e do setor privado para ampliar as oportunidades de qualificação de mão de obra e de inserção de trabalhadores no mercado de trabalho. Para dinamizar as ações, em 2011, a Prefeitura lançou o programa “Todos pelo Emprego” voltado a viabilizar investimentos geradores de emprego e renda na Cidade e a criar oportunidades para qualificação profissional.

Figurando entre as 60 melhores cidades do país para se viver (52ª posição entre 5.565 municípios brasileiros), segundo o Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), Botucatu passou a atrair grandes investimentos públicos e privados que contribuem para a o fortalecimento da economia, aumento da arrecadação e ampliação da oferta de trabalho.

Esse bom momento pode ser comprovado pelo crescimento de 13,60% do Índice de Participação do Município em relação ao Valor Adicionado (valor dos bens produzidos pela economia local), que saltou de R$ 1,4 bilhão em 2009 para R$ 2,1 bilhões em 2011. No mesmo período, cidades com economia forte tiveram desempenho mais modesto como Sorocaba (3,70%), Jaú (9,63%), Avaré (5,17%). Outros municípios viram seus índices recuarem. Foram os casos de Bauru (-1,39%), Araraquara (-1,13%), São Carlos (-1,32%) e Itu (-9,19%).

{n}Oportunidades {/n}

Os Postos de Atendimento ao Trabalhador (PATs) da região de Botucatu inseriram 500 cidadãos no mercado de trabalho no primeiro semestre deste ano. No total, foram oferecidas mais de duas mil oportunidades profissionais. No período, mais de 13 mil pessoas da região se inscreveram no sistema Emprega São Paulo/Mais Emprego – agência de empregos pública e gratuita gerenciada pela Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho (SERT), em parceria com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Em relação ao mesmo período do ano passado, houve um aumento de 203% no número de pessoas inseridas no mercado de trabalho (em 2012, foram 165). “Estamos alegres com esses números. Sempre buscamos melhorias no atendimento ao público, em nossas instalações, no quadro de funcionários, dentre outras para que esse número continue aumentando”, declara o secretário municipal de Desenvolvimento, Edinho Baptistão.

O crescimento pode ser justificado, em parte, pela abertura de dois novos PATs na região, que ocorreram em maio: Piraju e Laranjal Paulista. “Trabalhamos para cumprir o nosso papel principal, que é possibilitar ao cidadão o direito de ser inserido no mercado de trabalho”, acrescenta a diretora do centro regional de Botucatu, Sonia Aparecida.

Houve também crescimento no número de vagas oferecidas. No primeiro semestre do ano passado foram 1.797 contra 2.060 deste ano. Os setores de prestação de serviços e rural se destacaram, com as oportunidades para colhedor de laranja e de costureiro.

Atualmente, são nove Postos gerenciados pela SERT na região de Botucatu, sendo que um deles funciona em uma unidade do Poupatempo. “Nos PATs, o cidadão também pode emitir a carteira de trabalho, conseguir habilitação para o seguro-desemprego e se inscrever nos demais programas da pasta, como o PADEF (Programa de Apoio ? Pessoa com Deficiência), o Time do Emprego, o Jovem Cidadão e o Aprendiz Paulista”, completa Ortiz.

Os Postos buscam alternativas para a inserção dos trabalhadores no mercado de trabalho, através de informações e orientações ao trabalhador. Aos empregadores, as unidades colaboram na busca de recursos humanos e promovem o encontro de ambos através da intermediação de mão de obra (com informações da Secretaria de Emprego e Relações do Trabalho)