Tênis universitário americano é a meta de botucatuense

Nathalia Bardella Stelzer, jovem tenista de Botucatu está morando em Serra Negra, dentro do Circuito das Águas Paulista, participando do programa tenístico-acadêmico Kirmayr Prep School, que é coordenado pelo ex-tenista brasileiro e um dos mais renomados técnicos de tênis do circuito, Carlos Alberto Kirmayr, que chegou a 5º do mundo em duplas e 32º. em simples como profissional, destacando-se no cenário internacional de tênis onde, além de treinar diversos grandes jogadores, foi o único técnico brasileiro ganhar o torneio de US Open (grand slam disputado nos EUA), quando o mesmo treinava Gabriela Sabatini em 1990.

A tenista treina em um complexo que possui 11 quadras, academia, fisioterapia, equipe interdisciplinar que envolve, além de técnicos de tênis, fisioterapeuta, preparador físico e profissional especializado em pilates para tenistas. Além desta equipe, voltada para as aspectos de treinamento e físico, o programa conta ainda com uma equipe acadêmica, onde os ensinos fundamental II e médio, são oferecidos pelo Colégio Reino – Anglo, além do Curso Regular de Inglês e das Aulas Especiais de SAT em uma ação inédita em centros de treinamento no Brasil.

Nathalia explica como iniciou sua carreira tenística: ”Comecei acompanhando meu pai, que jogava num clube de Botucatu. Queria muito jogar, até que um dia ele me deu uma raquete aos 10 anos. Desde então, me apaixonei pelo tênis, comecei a treinar e depois a disputar torneios da federação com 13 anos .”, sintetizou a tenista, atualmente com 16 anos e que iniciou 2015 entre as três melhores tenistas de sua categoria pelo ranking da Federação Paulista de Tênis.

A tenista conheceu o Kirmayr Prep School pelo site da Federação e visitou as dependências.  “Acabei ficando, pois é muito interessante poder chegar a universidade americana jogando tênis e estudando, eles oferecem ótimas condições. Neste tempo aqui no CTKirmayr, meu jogo melhorou muito e não há comparação entre a minha chegada e o momento em que estou atualmente. Comecei a pensar mais estrategicamente no jogo e melhorar tecnicamente dia a dia", afirmou a tenista que treina de 4 a 5 horas, por dia. 

Distante 290 quilômetros de casa, Nathalia afirmou que tem o apoio da família para alcançar seu sonho e acaba indo poucas vezes para casa nos finais de semana – “Viver longe de casa e da minha família será uma realidade mais intensa em breve para mim, então preciso me acostumar. Quero conciliar o tênis profissional e a faculdade nos Estados Unidos”, finalizou.