Shaolin Botucatu conquista títulos no kung Fu

A Academia Shaolin Botucatu de Kung Fu conquistou treze medalhas na 24ª edição do Campeonato Brasileiro de Kung Fu, competição disputada em Valinhos e que reuniu de 9 a 13 de outubro, mais de 800 atletas de todo o país. O torneio serve como seletiva para o Mundial da modalidade, no próximo ano.

A delegação botucatuense, composta por nove atletas garantiu quatro títulos brasileiros e oito medalhas de bronze. O desempenho da Shaolin este ano supera a da edição passada, quando foi conquistado o título em uma modalidade.

Ronaldo Fogueral se tornou bicampeão brasileiro no estilo Xing Yi, que consiste em movimentações internas de golpes. Já Fabrício Osaku, foi o primeiro colocado na categoria garras de águia (adulto). Os atletas Nicolas Ricardo e Gabriel Biagio conquistaram o título brasileiro no combinado de armas (juvenil).

Pela primeira vez disputado em um brasileiro, a modalidade tai chi chuan voltada a portadores de necessidades especiais teve o botucatuense Guilherme Davatz como campeão.

A Shaolin Botucatu garantiu presença no pódio com as medalhas de bronze conquistadas por Fabrício Osaku, Vinícius Motillo, Guilherme Amaro e Ricardo Bruder no conjunto adulto. Gabriel Biagio, Nicolas Ricardi, Caio Marciano e Matheus Sperandin conquistaram o terceiro lugar no conjunto juvenil.

“O brasileiro de kung fu é um dos torneios com maior nível técnico da América do Sul e estar entre os melhor representa o resultado da superação dos atletas que se empenharam no aprimoramento das técnicas”, frisou Fabrício Osaku, professor da Shaolin Botucatu.

{n}Jogos Abertos{/n}

Uma das maiores novidades para a 77ª edição dos Jogos Abertos do Interior em Mogi das Cruzes foi a inclusão do kung fu na competição como uma das onze modalidades extras. A partir de domingo, 20 de outubro, três atletas da Shaolin vão representar Botucatu nos jogos.

Nicolas Ricardi vai competir na categoria mãos do norte, Vinicius Motillo disputa armas longas, no juvenil, e Gabriel Biagio luta no sabre simples. Os atletas terão Ronaldo Fogueral como técnico.

“Foi uma grande luta para a inclusão do kung fu nos Jogos Abertos. Desde as academias e a Federação Paulista se mobilizaram e sensibilizaram a importância e relevância que a modalidade tem na formação de atletas e cidadãos”, salienta Fogueral.