Senno fala do crescimento do karatê em Botucatu

Fotos: Valéria Cuter

 

O caratê (ou karatê) de Botucatu tem crescido muito nos últimos anos formando atletas que estão defendendo a cidade nos mais diferentes campeonatos brasileiros. Um dos principais responsáveis por esse crescimento do esporte Botucatu é o professor Vicente Carlos Senno.

Ele ministra aulas na Associação Atlética Botucatuense (AAB) e trabalha em projetos sociais da Prefeitura Municipal de Botucatu. Aulas são ministradas para todas as faixas etárias tanto para defesa pessoal como para selecionar valores para competição, tendo formado vários campeões.

Segundo Senno, o caratê colabora com a formação integral do homem, diferenciando-o daqueles que fazem dele uma prática puramente esportiva.  “O objetivo central é a formação da personalidade do praticante e seu preparo para o convívio social, em que se reconhece o respeito pela dignidade do ser humano detentor de direitos e deveres universais”, prega Senno.

Ele explica que o caratê é uma palavra japonesa que significa “mãos vazias”. Consiste em uma arte marcial japonesa e um método de ataque e defesa pessoal que inclui diversas técnicas executadas com as mãos desarmadas. Os praticantes são denominados “caratecas”. Nas lutas só podem usar as armas de combates naturais, ou seja, o próprio corpo (mãos, braços, pés, pernas, etc.), incluindo os bons reflexos de visão e a inteligência.

O nível atingido por cada carateca é classificado através de um sistema de faixas coloridas na seguinte ordem: branca, amarela, vermelha, laranja, verde, roxa, marrom e preta. A faixa branca é indicativa de principiante e a preta é conseguida por quem atingiu todos os conhecimentos e domina a arte marcial e pode atingir a 10 estágios (Dan), de acordo com o grau aperfeiçoamento. Senno que é um estudioso no esporte, é 5º Dan da faixa preta da Confederação Brasileira de Karatê Interestilo (FPKI) e Federação Paulista de Karatê Interestilo (FPKI).