Santos é tri-campeão da Libertadores da América

Mostrando porque é considerado o melhor time da América Latina, o Santos venceu o Peñarol por 2 a 1, na noite desta quarta-feira, jogando no Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho – Pacaembu e conquistou o tricampeonato da Taça Libertadores da América, encerrando um jejum de 48 anos sem vencer. Esse é o principal torneio intercontinental.

Na capital e em todo interior paulista a torcida santista comemorou o título até altas horas da madrugada. Em Botucatu a comemoração teve como palco as Avenidas Dom Lúcio e Santana, com uma carreata de carros, buzinaço e bandeiras.

O título consagrou não só os jogadores como também o técnico Muricy Ramalho, que perseguia esse título já há vários anos. A conquista deixa o Santos classificado para disputar o Campeonato Mundial Interclubes, a ser realizado no fim do ano, no Japão, juntamente com o Barcelona, atual campeão da Copa dos Campeões da Europa.

O ponto negativo do evento aconteceu quando o árbitro argentino Sergio Pezzota apitou o final da partida e os jogadores do Peñarol partiram para cima dos jogadores santistas e aconteceu uma briga generalizada por vários minutos, com socos e pontapés para todos os lados. A polícia interveio e conseguiu acalmar os ânimos.

O jogo teve um primeiro tempo sem muitas emoções, onde a equipe santista, embora melhor posicionada em campo e com domínio da partida, não conseguiu furar o bloqueio defensivo do time uruguaio, que exerceu forte marcação sobre os principais jogadores praianos, como Neymar, Paulo Henrique Ganso e Elano.

Porém, o panorama da partida mudou logo no início do segundo tempo, depois de uma bonita triangulação do ataque, Neymar recebeu bola de Arouca e colocou no canto direito do goleiro uruguaio, fazendo 1 a 0, dando o início ? festa. Aos 24 minutos, Danilo recebeu a bola pelo lado direito da área adversária, cortou para o meio, tirando o zagueiro da jogada e chutou rasteiro: 2 a 0.

O Santos ainda teve oportunidade de aumentar o marcador, mas levou um susto aos 35 minutos quando Durval, tentando cortar um cruzamento que veio da direita acabou fazendo gol contra. Nos 10 minutos finais, o Peñarol não teve forças para empatar o jogo e levar a decisão para a prorrogação.

A equipe santista jogou como Rafael, Danilo, Durval, Edu Dracena e Leo (Alex Sandro), Adriano, Arouca, Elano e Ganso (Pará); Neymar e Zé Eduardo. Esses jogadores entram para a galeria de jogadores nas três conquistas que o time teve disputando a Libertadores. Nos anos 60 (62 e 63) foram dois títulos com um time que tinha o ataque considerado até hoje como o melhor do mundo de todos os tempos: Durval, Mengálvio, Coutinho (Toninho Guerreiro) , Pelé e Pepe.