Jogo de bochas está sobrevivendo ? modernidade

 

O jogo de bochas é um dos esportes mais conhecidos do Brasil e sobrevive à modernidade, mantendo os mesmos preceitos, desde que foi jogado pela primeira vez. As regras são, exatamente, iguais e não sofreram alterações ao longo das últimas décadas. Em Botucatu, embora ainda existam muitos adeptos, as canchas para a prática das bochas não são encontradas com a mesma facilidade de outrora.

Entre os campos públicos em atividade estão o Bar do Bocha na Rua Curuzu, o Sete de Setembro, na Vila Pinheiro e no estádio municipal “João Roberto Pilan”, na Vila Antártica, Associação Atlética Botucatuense (AAB), são alguns deles. Vale destacar que os freqüentadores desses campos treinam para defender a cidade em diferentes campeonatos, como Jogos Regionais e Abertos  do Interior.

E jogadores do passado são considerados verdadeiras lendas desse  esporte, que desfilaram pelos campos da cidade, principalmente,  o da Rua Curuzu que hoje pertence a  Rodrigo Cunha e tem como parceiro, Ricardo Luquis. “Acredito que o jogo de bochas sempre vai ter o seu lugar  assegurado e ainda temos muitos adeptos dessa nova safra que estão aderindo ao esporte. A renovação não é acentuada , mas  ainda existe em bom número”, colocou  Rodrigo Cunha.

Se dissermos o nome verdadeiro desses jogadores poucas  pessoas vão assimilar ao jogo, mas seus apelidos ficaram marcaram nas canchas, entre eles:   Viadinho, este uma verdadeira lenda desse jogo e apontado como o maior jogador de bochas de Botucatu, de todos os tempos, o Grilo, Cabrito, Roque Preto, Dezesseis, Angelin Ferrari, Zé Cumprido, Arlindo Macarrão, Rafael Martins “Faé”, Milton da Farmácia, entre outras

Também fazem parte desse time jogadores que viveram aquela época e ainda estão em atividade ou simplesmente ainda são vistos nos campos da cidade jogadores como o Medalha (o mais velho jogador que ainda estão em plena atividade, com seus 85 anos),  Salomão “Salo”, Ia, Abelardo, Empresário, Brizola,  Conchas, Sérgio, Toninho, irmãoo Lelis,  João Zanuki, Antônio Borba, Borgato, Fotão, Ademar,  Moreira, Pirambóia, o Estevam, o Mirtão, entre tantos outros. E o melhor jogador botucatuense da atualidade é o Robertinho.