Henrique Arena entra na 7ª etapa do Rally dos Sertões

O piloto Leandro Torres e navegador botucatuense Henrique Arena cumprem etapa maratona, mas encararam situações crueis que marcaram a carreira destes dois competidores. Ele correm pela LTXL Rally Team que é patrocinada por Yachtbrasil, 4 Quatros Inteligência Educacional e BTG Pactual.

A 19ª edição do Rally dos Sertões, de fato, está se fazendo uma das mais difíceis da história. As especiais mais longas deste ano foram levantadas para a etapa maratona, na qual os veículos enfrentaram dois dias de disputas, sem poder contar com o apoio mecânico. Neste caso, poupar o equipamento durante essa fase foi a estratégia mais inteligente. Largaram nesta segunda-feira, 46 motos, 5 quadriciclos, 44 carros e 4 caminhões.

Diversos participantes não conseguiram terminar a 6ª etapa da 19ª edição do Rally dos Sertões, que aconteceu entre as cidades de Lizarda, TO, e Balsas, MA. Os veículos enfrentaram dois dias de disputas, sem poder contar com o apoio mecânico.

Neste caso, poupar o equipamento durante essa fase foi a estratégia mais inteligente, mas o piloto Leandro Torres e o navegador Henrique Arena levaram com valentia, a L200 Protom até o final do percurso de 436 quilômetros, que teve 428 quilômetros de especial (este foi o circuito mais cumprido do rali). Largaram nesta segunda-feira, 46 motos, 5 quadriciclos, 44 carros e 4 caminhões

Visivelmente exaustos, piloto e navegador disseram ter vivido um dos dias mais tensos de suas carreiras no off-road. “Como não tivemos o conserto das avarias ocorridas na etapa anterior, estávamos sem a partida elétrica e fizemos a picape pegar no tranco. Depois, no km 45 da especial, um carro estava atolado e esperamos duas horas para liberarem o caminho, e houve uma relargada. Porém, como não tínhamos a partida elétrica, deixamos a L200 Protom ligada e isso consumiu combustível”, contou Arena.

A dupla ainda parou para ajudar Hugo Rodrigues e Kaique Bentivoglio, que caíram em uma erosão e tiveram uma pane elétrica. “Nesta tentativa, nosso motor apagou. E para fazer voltar a funcionar? Nova luta, até finalmente ligarmos a caminhonete e tirar nossos companheiros do obstáculo”, diz Arena.

Na sequência, a dupla passou quatro concorrentes e começou a acelerar forte. Quando chegou ao setor de reabastecimento, a equipe de apoio não estava no local, resultado: pânico de sofrerem uma nova pane seca. “Dali em diante, não aceleramos mais para economizar. E completando, o veículo pegou fogo assim que paramos no boxe”, relatou Arena.

Mas, ainda com bastante energia para gastar, Torres e Arena têm um novo teste nesta segunda-feira (15): a 7ª etapa segue rumo a Barra do Corda, MA, que pela terceira vez receberá o evento. Esta será uma prova de 318 quilômetros, com 253 quilômetros de trecho cronometrado.